dezembro 26, 2007

Amigos ! preparem lancheiras e apurem ideias ! logo a seguir às 24h do dia 31 ganha vida o próximo sonho … caminhemos …



 


Feliz Ano Novo!


 


São os votos de Ricardo Cardoso, Céu Campos e toda a equipa que faz parte deste NOSSO mundo de ideias chamado Arestas de Vento.


VIVA 2008 !


Chegam palavras … AMIGAS ... 



Ricardo.
Desejo-te um excepcional 2008, com todos os teus incluídos.
Fernando Tordo


Fado de Alcoentre 

Clicar ...


PASSAGEM DE ANO NO COUÇO

Cozido à portuguesa
Ingredientes:
carne de vaca para cozer;
meia galinha;
1 pé de porco, entrecosto, chispe ;
presunto, chouriço, farinheira, salpicão;
toucinho salgado, bacon ;
orelheira fresca e fumada ;
couve portuguesa (penca) ou coração;
cenouras, batatas, nabos;
sal e azeite.

Confecção:

Numa panela grande coza em água todas as carnes.Aquelas que forem salgadas devem ficar de molho umas horas, só depois se podem pôr a cozer.Regue a água da cozedura com um fio de azeite e tempere a gosto. Por ordem de cozedura mais rápida, vão-se tirando os enchidos, depois as carnes de porco, e só no fim, depois de bem cozida, a carne de vaca.Nesta água de cozer as carnes, meta os legumes já mencionados no início.Quando cozidos, retire a panela do lume, deixando os legumes dentro.Para servir, corte as carnes, disponha numa travessa com os respectivos legumes.Acompanha feijão branco cozido, cozido na água dos legumes, e arroz de forno ou branco. Feito em tacho de barro e tudo isto regado, bem regadinho, com um tinto com os graus acertadamente certos...
Ó Ricardo Cardoso, tu és masoquista, doido ou estás a dar bailarico, gozando com o Zé Povinho urbano mais acostumado a fazer a travessia anual dentro duma discoteca apinhada, saudavelmente enfumarada, com o pessoal cantante da estranja a abrir as goelas na força máxima, debitando sons que se pegam aos tímpanos, por vezes aos intestinos? E isto para não falar da "passagem de ano na Madeira", esgotadíssima e fluorescente, ou das ceias requintadas, bem espargidas a champanhe, ou das jantaradas em restaurante , com a divinal e incontornável  companhia do "bacalhau quer alho"?
Ó pá, o que é que eu tenho a ver com o facto de ires fugir, no dia último de Dezembro,  para a tua terra do COUÇO, onde te esperam compinchas de alto quilate, devidamente armados de garfo e faca e copo, tendo por umbigo um valente e abarrotado tacho carregado de couves e de enchidos, base genuinamente portuguesa para uma boa conversa de acerto de agulhas, ou para pôr as conversas em dia, ou para sonhar em grupo projectos e intenções mil vezes sonhados e idealizados? 
Olha, meu Amigo, se eu fosse do COUÇO, acredita que mandava tudo isto à merdinha e ia encher o bucho e revitalizar o ego nessas berças abençoadas pela força e persistência daqueles que nem dobram nem quebram, quando o assunto é liberdade!
Sai bem e entra melhor. 2008 te espera. Não deixes que a politicagem asacanada o influencie. Molda-o à tua vontade. E depois conta à gente o que as gentes do COUÇO te contaram. É uma maneira de estar contigo e com eles, nesta passagem de ano.
Boa vinhagem, porta-te mal e não desfaleças.
Um abraço do Amigo,
Fernando Manuel Pereira/ Poeta/ Setubalense/ Blogues do autor:
http://sempreemluta.nireblog.com/ e http://etcetal.blogs.sapo.pt/ e http://palavrasnovento.nireblog.com/

Feliz 2008
"O valor das coisas não está no tempo em que elas duram,
mas na intensidade com que acontecem.
Por isso existem momentos inesquecíveis,
coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis".
Fernando Pessoa
Cecília Fernandes/ Amiga do Arestas de Vento

Tchim Tchim!
Saúde e um Novo Ano... cheio de coisas boas! Das melhores que a vida tem!
Sugiro "embarque" com :
- destino à FELICIDADE,
- partida pelas 24h do dia 31/DEZ/2007,
- bagagem permitida: ALEGRIA, SAÚDE, HARMONIA, AMOR e muita PAZ
Que esta seja uma Boa Viagem... rumo a 2008!!!
Eu, tambem quero apanhar esse voo!!!
Cristina Videira/ Poetisa

Que o Ano Novo lhe traga
Tudo o que houver de melhor
Principalmente saúde
Mas também Paz e Amor!
Votos da amiga
Alexandrina Pereira/ Poetisa

ANO NOVO, VIDA NOVA ?


2008 está aí, mesmo, mesmo a tocar à campainha. Não sei se lhe abro a porta. Ainda vou pensar no assunto. Estou zangado com o irmão mais velho que não trouxe nada de bom para grande parte do povo lusitano. E o próximo, cara chapada deste, pelo andar da carruagem, não augura lá grande espiga... Cá pra mim vai ser um recomeço de tudo neste Portugal português, mais um ano embebedor, onde a maioria das pessoas se sente esbulhada, traída, violentada. E pobre. Cada vez mais pobre. 
Sempre me intrigou a frase que ele transporta pela trela: ANO NOVO, VIDA NOVA, um jargão sem efeito, pelo menos para mim, pecador confesso e não reciclável, graças a Deus, a apanhar todos os anos com o mesmo indigesto fast-food das promessas, o mesmo blá-blá-blá  impingido aos cidadãos, rasteira centopeia de palavras ôcas, mas que enganam, nos enganam na sua baboseira mediática.
No entanto, que venha o caraças do 2008, porque não faço intenção de entregar de mão beijada o ouro ao bandido. Vou resistir. Tenho o direito de resistir, de engajar soldados, até. Nesta época de falsos profetas, tão agradável para políticos mentirosos, vou continuar a viver a vida, a aproveitar bem o tempo, a buscar sonhos, a reforçar amores, amizades, desejos, a percorrer novos caminhos, a lutar por causas justas, a dividir ideias, pensamentos, trocar experiências, a aprender com os erros para continuar errando. Eles que se danem. Estou-me borrifando. Globalmente!
E que hajam sonhos, muitos sonhos, marés de sonhos, epidemias de sonhos, mesmo reiniciados, velhos ou novinhos em folha, mas sonhos. Temos pela frente 365 dias totalmente em branco. Vamos preenche-los bem, mesmo à revelia dos gestores do regime. O sonho também ajuda a construir um País... E é luta!
E para o ajudar, meu amigo, se possível, a acabar bem este e comecar bem o próximo ano, aqui lhe deixo estes versos que o meu Avó algarvio cantarolava com um sorriso matreiro:
Adeus, Ano Velho
Bem-vindo Ano Novo.
Que tudo se realize
Neste que vai nascer
Muito dinheirinho no bolso
Saúde pra dar e vender!
Fernando Manuel Pereira/ Poeta/ Setubalense/ Blogues do autor:
http://sempreemluta.nireblog.com/ e http://etcetal.blogs.sapo.pt/ e http://palavrasnovento.nireblog.com/


ALTO LÁ E MUITA ATENÇÃO ! A FOLIA PODE ESPERAR ...


DOMINGO, 30 DE DEZEMBRO, HÁ ARESTAS DE VENTO DAS 11 ÀS 14H NA ANTENA DA PAL FM (102.2) E EM www.palfm.com
Ouvir o Arestas de Vento é ser SEMPRE solidário e interventor no continente da Língua Portuguesa e, naturalmente, isto só lá vai, com cultura da boa.
Só os tontos não percebem que o país tá tonto de mediocridade! Outras KOLTURAS. Outras.
Toka ! a OUVIR ... para nosso grande prazer ... e alegria interventora.
Lembro que o Arestas de Vento é o programa de rádio mais libertador em Portugal . São 20 anos a existir e resistir.
Arestas de Vento 11-14h num regresso muito especial à antena da Pal fm.
Em destaque, uma grande entrevista (em tempo real) a LUÍS BANDADAS, jornalista e director do Semanário Primeira Página.
NINGUÉM PODE PERDER !!!!!!!!!!!!!!! POR TUDO ! E MAIS ALGUMA COISA ...


" Domingo, 23 de Dezembro, o Arestas de Vento recebeu, nos 102.2 da Pal fm e em www.palfm.com o dr. Eugénio da Fonseca – Presidente da Cáritas "



(Dr. Eugénio da Fonseca)


Foi a solidariedade a falar mais alto ...


ENTREVISTA NO ARESTAS DE VENTO A EUGÉNIO DA FONSECA – PRESIDENTE DA CARITAS UM SUCESSO


RESCALDO


Nós amamos porque ELE nos amou ...
O Natal deixou de ter no seu centro o nascimento do Menino Jesus. A avidez com que as pessoas vão às compras, este idiota consumismo apressado, de mãos dadas com uma "solidariedade" sazonal natalina, vem esvaziando esta época do seu significado verdadeiro. E nós, impávidos, lá vamos atrás... O capitalismo sabe-a toda! Mas não só o capitalismo...
Conheço o Professor Eugénio da Fonseca há muitos anos - sem nunca ter com ele falado. Mas é um nome que surge muitas vezes referido por amigos meus, a propósito de diversos assuntos, a maior parte deles ligados a Setúbal, à Cultura e à Solidariedade Social.
A primeira vez que, de facto, despertou a minha curiosidade, foi quando um seu ex-aluno, numa "sessão política" de café, sugeriu o seu nome como um bom candidato à Câmara Municipal de... Setúbal!  "Setubalense, humanista, solidário", acrescentou.
Segui com atenção a entrevista que deu ao programa Arestas de Vento. Criteriosa e absolutamente honesta, vincou sobremaneira o aspecto humano das suas funções enquanto cidadão e responsável pela Cáritas Setubalense, marcado pela solidariedade, pela paz e pelo amor ao próximo, um elo nesta harmoniosa corrente que forma o mundo, onde nós, humanos, seremos simples formigas, mas obra de Deus.
Deixou bem claro que vive na pele a pobreza, fazendo uma abordagem séria e objectiva da problemática, afirmando que até os pobres, os desamparados, os marginalizados, ainda que excluídos da sociedade, possuem direitos iguais de cidadania.
A sua Fé não é cega, não é fanatismo religioso sem pés nem cabeça. O seu conceito de sociedade mais justa, é baseado em valores e sentimentos, alguns que, infelizmente, escasseiam, como a solidariedade.
Gostei da serena entrevista deste Homem de causas. Mas há um ponto com o qual não concordo em absoluto. Em resposta a uma pergunta do nosso amigo Leonel Dias, se o seu lugar na instituição era "cobiçado", respondeu que não. Não mesmo? Bem...
Só desejo, sinceramente, que tenha muita saúde para poder continuar a demanda em prol dos necessitados e excluídos.
Quanto ao desempenho do Ricardo, fiquei com a sensação que partilha completamente  dos pontos de vista do entrevistado, no que respeita a solidariedade, à verdadeira Solidariedade e que também repudia a caridadezinha hipócrita e sazonal.
Para ambos, os meus cumprimentos e desejos de BOAS FESTAS.
Fernando Manuel Pereira/ Poeta/ Setubalense/ Blogues do autor: http://sempreemluta.nireblog.com/ e http://etcetal.blogs.sapo.pt/ e http://palavrasnovento.nireblog.com/


Ricardo Cardoso e Céu Campos, estou muito contente por terem feito a emissão de Natal com o o doutor Eugénio Fonseca. Já no tempo em que eu era colaborador semanal era assim e que grande entrevista ele voltou a dar. É um homem atento ao mundo e também considero uma vergonha os 60% de pobres existentes no planeta e pior fico por saber que 2 milhões vivem em Portugal.
Um bom Ano Novo para o Arestas de Vento
Fernando Tavares – Escriba, ex morador em Setúbal e cidadão de Cascais


Mais uma grande entrevista no Arestas de Vento. Feliz 2008 para o Professor Eugénio, Ricardo Cardoso, Céu Campos, pessoal do Arestas de Vento e para todos quanto lerem esta mensagem.
Luís Filipe Estrela/ Poeta/ Setubalense


Ricardo, podes ficar mais uma vez orgulhoso.
A entrevista ao senhor Presidente da Caritas Eugénio da Fonseca foi grandiosa.
A minha pergunta acerca da localização daquela grande estrutura da Cáritas numa
zona socialmente complicada de Setúbal foi muito bem respondida.
Ainda tentei perguntar o que pensa a Cáritas fazer para ajudar a combater os
750 mil desempregados que temos em Portugal.
Isso não foi possível, fica para outra oportunidade.
Desejo saúde ao entrevistado ao Ricardo e à Céu e a todas as pessoas amigas do Arestas de Vento.
Luís Artur de Sousa – Musico/ Escriba/ Ex fuzileiro para todo o serviço/ Inimigo visceral de muitos filhos da natureza.


Olá Céu, Olá Ricardo, gostei de ouvir o Eugénio responder com a habitual sinceridade de ser humano vertical e humilde. Está de parabéns por não ter medo de defender as suas opiniões. Sem ele a Caritas ainda seria a vaca do leite em pó. Também acho que não viria mal ao mundo se as mulheres fossem ordenadas na Igreja.
Aproveito para dar os parabéns ao sr Fernando Manuel Pereira pela lição de vida decorrente no seu texto sobre o Pai Natal.
Beijos e até amanhã Céu.
Abraço ao Ricardo e um grande 2008.
Anabela Ferreira/ Cidadã de Setúbal/ Socióloga


A entrevista foi um grito de insurreição contra o abandono e contra o egoísmo.
Foi com muita emoção que a ouvi até ao fim.
O professor Eugénio da Fonseca faz parte da vida dos meus pais desde que eu sou gente.
É um homem muito bom que não merece ser atraiçoado pela falta de saúde ou por amigos do alheio. 
Tânia Cardoso/ Historiadora/ Actriz


Um trevo de 4 folhas é sinal de boa sorte quem nasceu para ser livre não tem receio da morte. Estas palavras cantadas pelo saudoso amigo do Couço José Labaredas classificam pelo melhor a entrevista ao doutor Eugénio da Cáritas.
Que o ano 2008 seja o ano da amizade.
Anónimo da histórica Vila do Couço/ A gente sabe quem é ! cá fica o nosso respeito.


Estou muito agradecido ao dr Eugénio da Fonseca pela fabulosa entrevista que deu ao meu amigo Ricardo Cardoso. No fundo a todos ...
Foi uma entrevista fraterna e sem preconceitos. 
Feliz Ano Novo.
José Gago/ Poeta popular/ Palmela


A melhor forma de celebrar o Natal é mesmo entrevistar o dr Eugénio da Fonseca, um sr que transmite ética em tudo o que diz, mas também deve ser muito invejado pelos habituais ranhosos. Ricardo, desculpa esta e não apagues.
Um abraço ao Ricardo, beijo à Céu e votos de saúde para o sr dr Eugénio da Fonseca.
Rita Ferro/ Professora/ Cidadã de Palmela


Esta coisa da solidariedade tem muito que se lhe diga. Solidariedade não é dar esmola ao desgraçadinho da esquina, mas sim criar condições para que esse desgraçadinho possa ter a possibilidade de conseguir caminhar por si mesmo.
É por isso que sou contra essas instituições, profissionalizadas e muitas delas ligadas a seitas religiosas, que percorrem a cidade de Lisboa dando ESMOLA a toda a gente: comida, roupa, sem se aperceberem que estão também a alimentar a vadiagem, a roubalheira, a mendicidade.
A Caritas é uma das poucas organizações que merece o meu respeito. Por isso, na pessoa do Sr. Eugénio da Fonseca, aqui deixo o meu abraço solidário a esta Instituição de Bem-Fazer.
Cordialmente
António Nobre, alfacinha, cidadão do mundo e ouvinte fiel do Arestas de Vento


A solidariedade está lado a lado com a partilha.
Ignorar esse facto é morrer.
Do mundo do esperanto ambiciono saúde e alegria para Eugénio da Fonseca e para duas pessoas que admiro: Dª Céu e Ricardo
Feliz 2008.
Muito obrigado pela saudação. 
O amigo Alexandre Kasesa - Cidadão de Moscavide e homem do esperanto


 


(Em actualização...)


 


Palavras de Natal e rescaldo da entrevista feita no Arestas de Vento, no dia 16 de Dezembro, aos actores do GATEM, Céu Campos, Luís Candeias, Luís Filipe Estrela e Bernardo Oliveira.


Queridos amigos,
Em meu nome pessoal, da Céu Campos e de toda a equipa que faz o Arestas de Vento na Pal FM (102.2) … desejo … um feliz Natal aos cibernautas e ouvintes. Que é como quem diz: saúde aos molhos, ternura na consoada e camionetas de amizade com todos. Tudo regado ao tinto da verdade (cuidado com a colheita 2007) e sem o muito ralado martelo da hipocrisia. 
Feliz Natal!!! AMIGOS!!!
São os votos do
muito amigo
Ricardo Cardoso/ Autor do programa de rádio Arestas de Vento


Para ti e para a Céu, um abraço muito grande. E se for para dizer Feliz Natal, que seja. Já ensaiamos isto há tantos anos que qualquer dia acontece em cheio. E se for para dizer, também, Feliz Ano Novo, não há problema porque se pode aplicar a mesma receita. Não é verdade que Natal e Ano Novo andam de mãos dadas? Vocês já repararam na quantidade de coisas que dizemos só porque é Natal?
Afinal, o que vos desejo é que continuem a ser o que são o ano inteiro, bons amigos, gente fraterna. Sendo assim, vocês vão ver como esta enxurrada de desejos e votos de última hora passam num instante...
Vosso amigo
Fernando Tordo


Clicar em Fernando Tordo   para viver canções de um dos mais talentosos cantores da sua geração. Um cantor com História.


Um abraço com votos de feliz Natal e um ano novo solidário.
Ana Teresa Vicente/ Presidente da Câmara Municipal de Palmela


Feliz Natal, com saúde, paz e cultura. Votos de sucessos para o ARESTAS e seus obreiros.
Adilo Costa/ Vereador da Cultura/ CM Palmela


Um feliz Natal e um bom ano novo. Que todos os teus sonhos se realizem.
Beijos,
Ana Manuela/ Psicóloga/ Setubalense


Boas festas amigo, com saúde, harmonia e muito bom ano para 2008.
São os desejos da família Tavares.
Raul Tavares/ Jornalista/ Director do Correio de Setúbal


Que a poesia envolva o coração dos homens e aconteça Natal todos os dias!
Alexandrina Pereira/ Poetisa/ e família.


Feliz Natal e um excelente 2008
Lina Pacheco


Boas festas com saúde, paz, aconchego familiar, umas prendinhas, amigos e o coração cheio de amor.
Sinceros votos de um bom e próspero 2008.
Leonel Dias/ Setubalense/ Amigo do Arestas de Vento


Este ano venho lembrar que a Esperança é a estrela que ilumina a vida. Acredito que, com empenho e coragem, podemos conseguir mais amor, mais saúde e mais dinheiro. É isso que peço para todos os que fazem parte da minha vida. Votos de boas festas e um bom ano 2008.
Leonor/ Psicóloga/ Setubalense


Tudo de bom para vós e o serviço que prestam.
Eufrasio Filipe/ Poeta/ Presidente da Região de Turismo da Costa Azul/ Blog do autor:
http://mararavel.blogspot.com/


Quem faz o Natal para todos nós? São os amigos…
Abraço e beijo de amizade.
José Casanova/ Intelectual/ Membro do PCP e director do Jornal Avante


Um feliz e Santo Natal
são os votos
da Familia Baião.
Fernando Baião/ Presidente da Junta de Freguesia de Palmela


A família Mateus agradece e retribui os votos de bom NATAL e bom ANO NOVO. Que o vosso caminho esteja SEMPRE iluminado e livre de escolhos. É o que desejamos.
Henrique Mateus/ Poeta/ Setubalense


Caros amigos: Nesta quadra festiva lembro todos, desejando as maiores felicidades para 2008.
Teresa Almeida/ Ex Governadora Civil de Setúbal


Festas Felizes. São os votos
do
Raul Veloso/ Cidadão de Setúbal


Os dias são demasiado atarefados,
As horas passam depressa,
Os segundos são escassos,
mas há sempre tempo de enviar um e-mail ...
para desejar um Feliz Natal e um esplêndido Ano Novo.
Muitas felicidades!  
Jorge Neves/ Lisboeta/ Amigo do Arestas de Vento 


Agradeço e retribuo em dobro para toda a família.
Beijinhos e 1 abraço
Piedade Fernandes/ Cantora


Alarga as costas porque vai a caminho o maior abraço do mundo.
Boas Festas.
O SEMPRE amigo,
Fernando Manuel Pereira/ Poeta/ Setubalense/ Blogues do autor:
http://sempreemluta.nireblog.com/ e http://etcetal.blogs.sapo.pt/ e http://palavrasnovento.nireblog.com/


Umas festas felizes e muitos sonhos novos para serem vividos.
J. Condeça/ Homem do teatro/ Cidadão de Palmela


Feliz Natal meus amigos.
João Gabriel Baptista/ Ex Presidente da Junta de Freguesia de Palmela


Um abraço com amizade.
Machado Luciano/ Mandatário de Carlos de Sousa à presidência da CM Setúbal


Boas Festas da Presidente da Câmara Municipal de Setúbal.
A Divisão de Cultura da Câmara Municipal de Setúbal deseja-vos um Bom Natal e um Feliz 2008!
Com os melhores cumprimentos,
Maria das Dores Meira


Caros Amigos
Os meus Desejos sinceros de
Boas Festas
E um Feliz 2008!!!,
extensivo a toda a vossa família.
Que todos os vossos sonhos se concretizem, com a ajuda de Deus.
Um Abraço
Eng. José Coelho/ Administrador da Pal fm (102.2)


Que o Natal seja o corte no nosso egoísmo. Que os homens de boa- vontade comecem a partilhar cada um no seu nível, no seu lugar, os bens e conquistas da civilização com a cultura da bondade. Seja o nascer da esperança e fraternidade. Deixemos o “ter” e pensemos em “ser”.
Feliz Natal,
São os votos de Eugénio da Fonseca/ Presidente da Caritas


A Melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.
A Questão de Equilíbrio deseja a todos os seus colaboradores, voluntários e amigos, um Feliz e Santo Natal e um próspero ano de 2008.
Associação/ Questão de Equilíbrio


O verdadeiro Natal é aquele que nos aproxima dos mais esquecidos e carenciados vítimas de uma sociedade fria e calculista. Nesta altura do ano vem o Natal do consumismo que tem diminuído nos últimos anos.
Apesar de tudo
Um feliz Natal.
Tony
António Medeiros/ Musico


Foi com enorme alegria que recebi o vosso mail.
Este ano tenho recebido de vós um mundo que eu muitas vezes desconhecia.
Muito obrigado e votos de um santo Natal, pleno de paz e alegria.
Um 2008 cheiinho de bons programas.
Um grande abraço,
http://filhodocouco.blogs.sapo.pt/


Desejo-lhe um Santo Natal e um Ano Novo repleto de sucessos.
Um abraço amigo,
José Carreira
www.cegueiralusa.com


Desejo de bom Natal aos muito amigos Sr. Ricardo e Dª Céu.
Alexandre Kasesa e família


Boas Festas!!!
Deseja um feliz Natal e um 2008 cheio de teatro e outras coisas boas.
Histórias contadas – Associação Cultural


Santo Natal de Cristo para o Professor Eugénio, Ricardo Cardoso, Céu Campos, pessoal do Arestas de Vento e para todos quanto lerem esta mensagem.
Luís Filipe Estrela/ Poeta/ Setubalense


Boas festas e um ano novo cheio de saúde e de felicidade para ti Ricardo, para a Céu e toda a família.
Votos do amigo
Mateus Beleza/ Artista plástico


Para todos um santo e feliz Natal. Votos de um ano novo cheio de saúde, amor e tudo aquilo que mais desejarem.
Um abraço,
Carlos Resende/ Radialista


Os verdadeiros amigos são como as estrelas. Nem sempre os vês, mas eles estão sempre lá.
Feliz Natal
Luís David/ Cidadão do Couço


Feliz Natal e bom ano novo para a família Cardoso.
Maria Clementina/ Actriz  


A todos um bom natal!
A todos um bom natahaal!
Que seja um bom natal para todos vós..
Tudo de bom.
Pedro Mutila/ Musico


Agradeço e retribuo os votos de um Santo e Feliz Natal
Lúcia Mittermayer Saraiva


Boas festas e feliz ano novo com um sorriso no rosto.
Jornal Rostos
Rita Pereira/ Jornalista


PALAVRAS FRATERNAS VINDAS DO LESTE


Sarbavtori Fericite si un Anul 2008 da fie prosper, cu multa sanatate, belsug si fericire, sunt urarile noastre  ale FRATIEI - Asociatia Emigrantilor Romani si Moldoveni.
Boas Festas e o Ano 2008 prospero com muita saude, felicidade e paz, são votos da FRATIA - Associação de Imigrantes Romenos e Moldavos
Presidente da Direcção Maria Iancu, cidada luso-romena


FELIZ NATAL DE CRISTO EM NÓS.


Até poderá não parecer... mas tem tudo a ver!


Desejo, nesta quadra natalícia, um Santo e Feliz Natal de Cristo em nós.
Como dizia D. Leonor de Almeida, Marquesa de Alorna, na Ode de 8 de Outubro de 1824, " ...se não renascer com a Pátria a Glória, se a Ciência (o uso recto da Razão) e a Justiça ainda dormitam, se a Moral não desperta e o Espírito não acorda, para o Nada (não - existência) caminhamos..."


Pois é... e assim não pode haver Natal.


Falo-vos do Natal...do Nascimento...do Aparecimento do Símbolo Solar Máximo que se chama Cristo. Não vos falo do "pai natal da coca - cola". Falo-vos antes de S Nicolau. Como exemplo. Exemplo a seguir. Falo-vos de Jesus que soube, na humana perfeição possível, deixar encarnar em si o "Divino Verbo Crístico".
Falo-vos num Tempo para lá e para cá do próprio Tempo. Tempo Poético. Tempo Holístico. Tempo Transdisciplinar. Total. Falo-vos de Salvação. Salvação Integral. Do Corpo e da Alma. Das Gentes e dos Países. Do Mundo e de Portugal.


Portugal... que deverá vir a ser o "Menino Jesus das Nações". Tal como preconiza o Sábio –Santo ... Agostinho da Silva.


O Natal, aqui para os lados deste "enigmático rectângulo" chamado Portugal, só será verdadeiro Natal quando se travar e transmutar este satânico fenómeno de acelerada descristianização e desumanização ética da Sociedade e de uma rápida submersão social numa dantesca tecnocracia dita científica que nivela as Nações pela Economia e despreza (profundamente) a Cultura.


Até poderá não parecer... mas tem tudo a ver!


velas.jpg


Para que seja Natal, verdadeiro Natal de Cristo em nós, Portugal precisa menos de um "choque tecnológico" (experimentado pelo Pombalismo, pelo Fontismo e pelo Cavaquismo) e mais um "choque cultural" que possa elevar cada cidadão a um fraterno patamar de conhecimento Humanista e Cívico que, por arrasto, gerará o desejado... choque tecnológico.
Para que seja Natal... primeiro a Cultura, o Espírito, o sentido de transcendência, do Divino.
Por tudo isto, caros ouvintes do Arestas de Vento,  vos desejamos um Santo e Feliz Natal de Cristo em nós (na Rosa do Coração) e no nosso País que já foi, e poderá voltar a ser, o Sacro Porto do Graal...
BOM NATAL!
Abraço fraterno,
Luís Filipe Estrela/ Poeta/ Setubalense


A todos nós desejo um Bom Tempo para o resto dos dias das nossas vidas e daqueles que depois de nós virão.
Para todos a estima ou amizade do tamanho do Universo.
Victor Nogueira para uns,
Victor Manuel, para outros
Victor, para Todos
Victor Nogueira/
http://osabordolhar.blogspot.com/2007/12/tempo-estao-mudana-e-memria-ou-registo.html


Lua Cheia teatro para todos.
Boas Festas
Lua Cheia


Retribuição de Boas Festas,
Junta de Freguesia de Santo André/ Barreiro


O gabinete de Informação da Câmara Municipal de Palmela
deseja a todos os amigos e colaboradores
um Natal muito quentinho e
um 2008 recheado de boas notícias!
Liliana Nascimento & Paula Raposo


Amigo Ricardo Cardoso
Votos de Boas Festas e ... que continuem o vosso trabalho
Um grande abraço
Rui Lima/ Economista/ Setubalense


Mensagem de Natal,
Com a certeza do relógio, o Natal regressa às nossas vidas e as famílias reúnem-se em fraterna partilha renovando votos de que o Ano Novo, prestes a nascer, seja pródigo na Felicidade desejada e merecida. 
Partilhamos com todos vós, cidadãos desta grande Freguesia de Portugal, o ambicioso desejo de que o ano de 2008 seja a estrada que Gandhi nos ensinou: “Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho” . 
Boas Festas e um Ano Novo que seja o caminho da Fraternidade, da Solidariedade e da Dignidade.
Por esse Futuro, por esse caminho, saibamos dar o melhor de nós, e terá sentido o belíssimo verso de Vinicius de Moraes: "A vida só se dá a quem se deu".
O Presidente, Carlos Jorge Antunes de Almeida/ Junta de Freguesia de S. Sebastião/ Setúbal


Boas Festas da Câmara Municipal de Setúbal
Agradeço e Retribuo
[Ana José Carvalho]


A Associação Teatro em Branco deseja FESTAS FELIZES ao Arestas de Vento.
Sítio do Grupo:
www.aninando.blogspot.com


FELIZ NATAL


Baal 17 – Companhia de Teatro na Educação do Baixo Alentejo.
www.baal17.pt


A equipa do Pim Teatero agradece e retribui o desejo de Boas Festas!
Pim Teatero


Olá Ricardo e Céu (e meninas!)
Agradeço e retribuo os vossos votos de Feliz Natal.
Obrigada.
Força, Arestas!
da amiga
Manuel Matos Silva/ Poetisa


A RODA CONTINUA … A BOA … FRATERNAL … CÚMPLICE ! VALE A PENA CLICAR … PARA SABER COMO É ...  NA HIPERLIGAÇÃO DE VICTOR NOGUEIRA ... IMEDIATAMENTE ABAIXO. É URGENTE PARTILHAR.



Caríssimo, embora as BOAS FESTAS fossem para o colectivo, tomei a liberdade de transcrever para o meu blog uma parte do e-mail onde constavam.
Um abraço Victor Nogueira.
Clicar (para saber como é!) na seguinte hiperligação:
http://osabordolhar.blogspot.com/2007/12/o-pai-natal-no-existe-diz-rir-ldia.html


Não é bem como diria o poeta, MAS…
Com as mãos se faz a paz e mais a paz: O Arestas de Vento tem o prazer de fazer referência ao convívio AO SABOR DO OLHAR, em
http://osabordolhar.blogspot.com/2007/12/tempo-estao-mudana-e-memria-ou-registo.html  intitulado "Convívio do Tempo, Estação, Mudança e Memória ou Registo". Força amigo Victor Nogueira.
Ricardo Cardoso


Do alto dos Pirinéus, mais exactamente de Lascar, quero agradecer - vos os Votos Natalícios... Para todos vós seguem também os desejos de um próximo ano mais positivo e solidário. Até Fev. cidade do Sado... Um abração a todos.
Rui Mesquita/ Dramaturgo/ Encenador


BOAS FESTAS COM ARESTAS... DE VENTO!


Ricardo, entro na onda e aqui estou a desejar-te e à Céu, tua Mulher, e à tua descendência (presente e... futura) BOAS FESTAS.
E aproveito para agradecer todos os comentários e incentivos que tenho (e tens) recebido do grande Auditório do Arestas de Vento, por mor dos meus despretenciosos escritos que tu, semanalmente, fazes o favor de ler aos microfones do Programa Cultural de maior audiência cá no burgo.
E como estamos em época de amor ao próximo, para todos os que, de uma forma ou outra, quase às claras ou acoitados na cobardia do anonimato, têm procurado alfinetar - te e ao Programa, espero que Alguém Lá de Cima os premeie com o dobro daquilo que te desejam!
Fernando Manuel Pereira/ Poeta/ Setubalense


Este Fernando é cá dos meus. Até os comemos a régua e esquadro já que garfo e faca é lá com eles.
Natal feliz meus anjos.
Luís Artur de Sousa/ Musico/ Escriba/ Ex fuzileiro para todo o serviço e inimigo visceral de muitos filhos da natureza.


Para o Senhor Ricardo e todos os que ajudam a construir semanalmente o programa Arestas de Vento, Auditório e respectivas Famílias, desejo Boas Festas e um Bom Novo Ano.
Este desejo é extensível ao Grupo de Teatro Espelho Mágico.
Cordialmente,
António Nobre, alfacinha, cidadão do mundo e ouvinte fiel do Arestas de Vento.


Caro Amigo Ricardo e cara Amiga Céu,
Agradeço os votos de Boas Festas e naturalmente com toda a minha força retribuo.
Obrigado AMIGOS!
Gabriel Castanhas/ Radialista/ Cantor/  Sítio do Gabriel:
www.gabrielcastanhas.com.sapo.pt


Beijocas e um santo e feliz Natal para a Céu e para o Ricardo e para todos aqueles que forem amigos verdadeiros.
Rita Ferro/ Cidadã de Palmela


Caro amigo
Retribuo Votos de Festas Felizes e continuação de sucessos para 2008.
Um abraço
A.Amaro/ Presidente da Junta de Freguesia de Pinhal Novo


O SOM DO NATAL


Impõe uma felicidade irreal, tal como a do fumador de ópio.
Nesta época sinto-me como se vestisse um fato de bolo rei, apenas visto à distância pelos que nunca se lembram quem sou, se estou viva, se estou bem.
Na sociedade capitalista, todos acreditam
que precisam comprar... comprar coisas,
objectos, gente, amor, sexo, afectos,
tudo que possa dar a sensação de felicidade irreal, vazia, sem sustentação e repleta de vulgaridade urgente.
E haja tempo para a pressa.
Afinal, para quê tanta correria,
se temos todo o ano para isso?..
Aceito que sou uma ET.
Abomino festas de familiares sem o serem de verdade, no intimo, amigos por conveniência...,
festinhas de confraternização,
ir a casa dos outros...
acho tudo isso de uma chatice suprema!
Na natureza o ar é bem mais respirável.
Aspiro sofregamente os aromas e agradeço a Deus por sentir o cheiro, ver as cores e os contornos, ouvir os sons e ainda ter pernas que me permitam andar e mãos que possam tocar e sentir.
Não! Não tenho nenhum problema.
Apenas sou e sinto de forma diferente num mundo onde se rejeitam as diferenças e como tal cada vez mais se torna necessário ser igual aos outros.
Medir o sucesso pessoal em bens materiais e, pela conta bancária dos pseudo-amigos.
Não me sinto obrigada a fingir ser feliz, sorrir,
fingir ser magnânima, animada, bonita
- em apenas um dia -
eu sou assim, diferente durante todo o ano!
Não consigo ser outra pessoa que não eu, e não fico infeliz com isso.
(Adoro as minhas rugas e os meus cabelos brancos. Quem não gostar, não é obrigado a olhar).
Não incorporo essa obrigatoriedade de ser feliz
em ocasiões especiais.
Isso apenas torna infeliz qualquer ser humano.
Para que o "meu" natal não seja triste
faço crescer o espírito natalício que existe e sempre existiu em mim, exactamente a minha forma de ser, criticada e odiada por muitos e amada por "tão poucos".
E são esses "tão poucos" que me dão sentido à vida, os que me procuram sempre, só para saberem como estou e se preciso de alguma coisa.
Quanto ao resto?
mando às favas!
Cecília Fernandes/ Amiga do Arestas de Vento


CARTA AO PAI NATAL



 



Amigo Ricardo,
Anda por aí um grupinho de malandros a dizer que o Pai Natal não existe. E um outro grupinho de iguais a afirmar que o velhote das barbas brancas (teria sido vírus da coca?...) existe, sim senhor, mas é um grande sacana, faz contrabando, passa as fronteiras a salto, indocumentado, explora animais (e citam as pobres das renas, obrigadas a toque de chicote a fazer horas nocturnas, sem paragem para comer ou descansar...), e, como bom pilantra, desce à noite pelas chaminés (não se sabendo como, já que a gordura não ajuda...) e deixa ficar, quando deixa, brinquedos, a maior parte feitos nas chinas, que, como sabemos, não se situam no Pólo Norte, onde é suposto ele ter dado os primeiros vagidos. Se calhar, como bom capitalista, pirou-se prás chinas mais as fabriquetas, porque aí os ordenados são pequeninos, pequeninos como os chinesinhos (e daqui por uns tempos, pequeninos, pequeninos como os dos portuguesitos...) Há ainda um outro grupo que acredita no Pai Natal e pronto, mai nada!
De qualquer forma, meu Amigo, eu cá, e por via das coisas, nunca se sabe, (já os espanhóis dizem que não acreditam em Pais Natal mas que eles existem, existem - ou não será a respeito do Pai Natal? Bem, passemos à frente!), nunca se sabe, dizia eu, fiz um pedido ao velhote castiço de alvas barbas e só espero que os correios cá do sítio, fazendo jus à divisa cóboiana do faroeste americano, (não confundir com o português...), entregue a carta, não a Garcia, mas ao bolinha de Berlim do patusco Noel.
E na cartinha, cheinha de coraçõezinhos, um pedido, pois então, que espero que o Papá de vermelusco vestido, (ou esta côr será só para confundir o pessoal?)  me satisfaça a preceito. Queres saber qual foi? Não, não te posso dizer. Mas como és bom rapaz e Coucence, dou-te um lamiré, um pequenino lamiré, deixando à tua fértil e bem armazenada imaginação o resto: fala do Sócrates e das próximas eleições...
Fernando Manuel Pereira/ Poeta/ Setubalense/ Blogues do autor:
http://sempreemluta.nireblog.com/ e http://etcetal.blogs.sapo.pt/ e http://palavrasnovento.nireblog.com/


ESFORÇO INDIVIDUAL - A MINHA MENSAGEM DE NATAL PARA O ARESTAS DE VENTO


Você já pensou no valor do esforço individual?
Uma demonstração desse valor foi realizada numa noite escura, sem estrelas,
durante um comício patriótico no Coliseu de Los Ângeles.
Havia cerca de cem mil pessoas reunidas no local, quando o presidente avisou
que todas as luzes seriam apagadas.
Disse que, embora ficassem na mais completa escuridão, não havia motivo para
receio.
Quando as luzes se apagaram e as trevas tomaram conta do ambiente, ele
riscou um fósforo e perguntou à multidão: “quem estiver vendo esta pequenina
luz queira exclamar: sim!”
Um vozerio ensurdecedor partiu da assistência. Todos percebiam aquela
minúscula chama.
O silêncio se fez novamente e o homem falou: “assim também fulgura um ato de
bondade num mundo de maldade.”
E insistindo em suas idéias, lançou um desafio: “vejamos agora o que
acontece se cada um de nós acender um palito de fósforo.”
Num instante, quase cem mil minúsculas chamas banharam de luz a imensa
arena, fruto da colaboração de cem mil indivíduos, cada um fazendo a parte
que lhe tocava.
Essa foi a maneira singela que um homem utilizou para despertar nos
indivíduos o valor do esforço pessoal.
Geralmente, na busca de soluções para os problemas, imaginamos que somente
grandes feitos poderão ter um resultado eficiente.
Quando olhamos uma imensa montanha, por exemplo, concluímos que muito
trabalho foi preciso para que ela tomasse as dimensões que possui, mas nos
esquecemos de que ela é formada de pequenos grãos de areia.
Olhando o mundo sob esse ponto de vista, e fazendo a parte que nos cabe, em
pouco tempo teríamos um mundo melhor.
Mas se pensarmos que somos incapazes de mudar o mundo, o mundo permanecerá
como está por muito tempo.
Todos temos valores íntimos a explorar. Todos temos condições de contribuir
com uma parcela para a melhoria do mundo em que vivemos.
Como pudemos perceber, um palito de fósforo aceso, é capaz de derrotar as
trevas.
Pode ser uma pequena chama, mas a sua claridade é percebida à grande
distância.
Jesus falou das possibilidades individuais de cada um com a recomendação:
“brilhe a vossa luz.”
Assim, quando a situação se apresentar nublada em derredor, podemos acender
a nossa pequena chama e romper com a escuridão.
Não importa a situação em que estamos colocados, sempre poderemos fazer algo
de bom em benefício de todos.
Cada indivíduo é uma engrenagem inteligente agindo no contexto da máquina
social.
E a máquina somente funcionará em harmonia e atingirá seus objetivos se
todas as peças cumprirem a parte que lhes cabe.
Autor(a) Texto: c/ base na Revista Seleções do Reader’s Digest, 07/1949,
pág. 57.
Enviado por Cecília Fernandes/ Amiga do Arestas de Vento


FELIZ NATAL 2007 DO COMANDANTE SALGADO SOARES AO PESSOAL DO ARESTAS DE VENTO


Este Natal quero armar uma árvore no meu coração e nela pendurar, em vez de presentes, os nomes dos meus amigos.
Os amigos de longe e de perto. Os antigos e os mais recentes. Os que vejo todos os dias e os que raramente encontro. Os sempre lembrados e os que, às vezes, ficam esquecidos.
Os constantes e os intermitentes. Os das horas difíceis e os das horas alegres.
Os que, sem querer, eu magoei ou, sem querer, me magoaram.
Aqueles que conheço profundamente e os de que conheço só as aparências.
Os que pouco me devem e aqueles a quem muito devo.
Meus amigos humildes e meus amigos importantes.
Os nomes de todos os que já passaram pela minha vida.
Uma arvore de raízes muito profundas e de ramos muito extensos, para que os seus nomes nunca sejam arrancados do meu coração.
Para que novos nomes, vindos de todas as partes, venham juntar-se aos existentes.
De sombra muito agradável para que a nossa amizade seja um momento de repouso nas lutas da vida.
QUE OS MOMENTOS ALEGRES DO NATAL ILUMINEM TODOS OS DIAS DO ANO QUE SE AVIZINHA.
Salgado Soares


pai_natal.jpg


PAI NATAL? POIS. E O SIGNIFICADO DA CONSOADA QUANDO NÃO HÁ DINHEIRO NEM PARA COUVES NEM BACALHAU?


Em nome dos que dormem ao relento
Numa cama de chuva com lençóis de vento
O sono da miséria, terrível e profundo,
Em nome dos teus filhos que esqueceste,
Filho de Deus que nunca mais nasceste,
Volta outra vez ao mundo! (Kyrie)


Serve esta pequena parte de um poema de José Carlos Ary dos Santos para dizer à sociedade global pintada de cinzento feio pela "cortês educada e acastelada História da Civilização” que ainda não é tarde para viver o Natal na simplicidade da paz da justiça e da liberdade. Cada cidadão do mundo tem em si (desde o nascimento) o “ESPÍRITO SAGRADO” do amor que tudo transforma envolve e alimenta. Li o seguinte num apontamento de Eugénio da Fonseca – Presidente da Caritas: NATAL É O AMOR QUE CHEGA ... e curiosamente … percebi … o alcance das palavras escritas por Salomé Joanaz e enviadas por carta … para este vosso amigo … pelo escriba do mundo Luís Artur de Sousa.


"O Pai Natal não existe!", diz a rir a Lídia, uma menina adorável de 6 anos. A sua expressão de certeza absoluta faz sorrir o mais sério dos homens. "É uma maluca", diz a mãe a desculpá-la. "Não existe. É o meu pai e a minha mãe", adianta com uma expressão clara e decidida. Mas o que a Lídia não sabe e também ninguém lhe soube explicar, nem mesmo o pai católico praticante, é que o Pai Natal como o conhecemos hoje foi inventado na grande América, mas o antigo, aquele que apareceu no início da era cristã, era de carne e osso e chamava-se Nicolau. Tinha uma família como toda a gente, e uma casa, amigos e vizinhos. Esse homem celebrizado pela sua extrema bondade e generosidade para com todos os que tinham necessidades oferecia presentes a muitas pessoas, especialmente às crianças. Um dia a Lídia irá compreender a história e irá até procurá-la pelos seus próprios meios para a poder contar a seus filhos. Mas até lá vai continuando a dizer, embora com uma certeza pouco certa que "ele não existe". Existem pois as suas memórias, a sua presença no século IV, a sua ligação à igreja enquanto bispo, as suas acções enquanto homem. Mas para que se saiba quem foi o pai dos muitos Pais Natal que hoje encontramos por todo lado, aqui fica um pouco de história. Só espero que um dia a Lídia possa ler este texto e aperceber-se que foi escrito para ela, e para que ela o pudesse ler aos seus filhos.”


Moral deste meu apanhado: Todos sabemos que o Pai Natal não pode nem deve ser posto, entre adultos, no lugar de Jesus Cristo … contudo … entre pirralhos que, por serem crianças, ainda sonham (?!!!) meu Deus … é parte integrante da magia do Natal. Não considero um gesto Cristão afastar o Pai Natal das festas Natalícias! Estar em sintonia com esta fundamentalista exclusão é um exagero praticado por quem (de mim falo) possivelmente já esqueceu que foi criança. Por outro lado falar em Dezembro é, efectivamente, falar do Natal. E apesar do lugar comum é impossível não associar esta quadra à família ao nascimento e à vida … contudo … é bom entender o significado da consoada quando não há dinheiro nem para couves nem para bacalhau. E mais aceitar na mesma mesa, como semelhantes, doentes com sida, gente sem abrigo e muitos outros que a sociedade dos perfeitinhos preconceitos condenou.
FELIZ NATAL 2007
Ricardo Cardoso/ Autor do programa de rádio Arestas de Vento

Posted by arestas at 06:29 PM

dezembro 16, 2007

Canções apuradas para desfile no 12º Festival da Canção Infanto – Juvenil de Palmela, a realizar, dia 20 de Janeiro, no Cine Teatro S. João.

Já foram apuradas as canções para o 12º FESTIVAL DA CANÇÃO INFANTO - JUVENIL DE PALMELA. Devido ao grande número de canções recebidas (62 composições) foram seleccionadas 5 canções (não 3 como inicialmente previsto!) e duas suplentes de cada escalão.

A Organização felicita todos os autores e concorrentes apurados para um espectáculo de grande nível cultural. As canções ABAIXO indicadas vão desfilar, no dia 20 de Janeiro, com honras de CANÇÕES VENCEDORAS.


A CONFERÊNCIA DE IMPRENSA para apresentação em DETALHE do programa do festival está marcada para dia 9 DE JANEIRO DE 2008, pelas 16 horas, como é tradição, no CINE TEATRO S. JOÃO, EM PALMELA.



CATEGORIA INFANTIL


Canção nº1


O cheiro da amizade


Letra de Ilda Ventura


Música de José Orlando


Canta Beatriz César


Tem 8 anos.


Vem de Almada.


 


Canção nº2


Aos nossos avós


Letra de Cristina Videira


Musica de Manuel Miguel


Canta Patrícia Silva


Tem 7 anos.


Vem de Almada.


 


Canção nº3


A vendedora de alegria


Letra e musica de Manuel Miguel


Canta Ana Rita Gomes


Tem 11 anos.


Vem da Venda do Pinheiro.


 


Canção nº4


A sementinha


Letra de Cidália Fernandes


Musica de Aníbal José Magalhães


Canta Ana Lúcia Soares da Silva


Tem 10 anos.


Vem de Alpendorada. Marco de Canaveses.


 


Canção nº 5


As mãos de minha mãe


Letra de Ilda Ventura


Música de José Orlando


Canta Diana Vilarinho


Tem 10 anos.


Vem do Miratejo.


 


1ª Canção suplente


Sonho que sei voar


Letra de Fátima Rosa


Música de Manuel Miguel


Canta Ana Beatriz Nunes


Tem 10 anos.


Vem de Torres Novas.


~


CATEGORIA JUVENIL


Canção nº1


Canção inquieta


Letra de Manuela Matos Silva


Música de Marcos Levi


Cantam Daniela Soares da Silva de 15 anos


e Cristiana  Soares da Silva de 12 anos.


Vêem de Alpendorada. Marco de Canaveses.


 


Canção nº 2


Quero o mundo a cantar


Letra e música de Rui Machado


Canta Inês Anjos


Tem 12 anos.


Vem do Pinhal Novo.


 


Canção nº 3


Sentimento profundo


Letra de Fátima Rosa


Música de Marcus levy


Canta Guilherme Sousa


Tem 17 anos.


Vem de Torres Novas.


 


Canção nº 4


Tá-se bem ó meu


Letra de Fernando Manuel Pereira


Música de José Pereira Rodrigues


Cantam Carlos Henriques e João Guilherme Paço de 12 anos


Catarina Barata de 15 anos


e Alexia Silva de 14 anos.


Vêem de Sto André.


 


Canção nº 5


Esta força da natureza


Letra e música de Joana Coelho


Canta Joana Coelho


Tem 15 anos.


Vem da Póvoa de Manique/ Azambuja.


 


1ª Canção suplente


Rio da vida


Letra e musica de Rui Vasconcelos


Canta Sérgio Silva


Tem 14 anos.


Vem do Seixal.



 


Clicar em www.espelhomagico.PT  para saber mais sobre o GATEM


 


O Arestas de Vento recomenda o ESPECTÁCULO INFANTIL DE NATAL - "FAZ DE CONTA". Ler abaixo e não faltar com a criançada…


DIA 23 DE DEZEMBRO


UM "FAZ DE CONTA" LINDO ...


O grande actor setubalense ÁLVARO FÉLIX, de parceria com o popular actor MANEL BOLA (Carlos Rodrigues) autor do texto e o conhecido músico ALBANO ALMEIDA, montaram um bonito e alegre ESPECTÁCULO INFANTIL DE NATAL - "FAZ DE CONTA" - que conta , também, com as relevantes actuações de ISABEL CANILHO, MIGUEL ASSIS, OLAVO NOBREGA e HELENA GUERRA, com o apoio técnico de JOSÉ SANTOS.


Este espectáculo pode (e deve!) ser visto no TEATRO DE BOLSO (antigas Finanças), em Setúbal, dia 23 de Dezembro.


1ª sessão às 15h e 2ª às 17h


000dab0s


(Foto do actor Álvaro Félix)

Posted by arestas at 10:04 PM

dezembro 15, 2007

10 milhões de estrelas - um gesto pela Paz. Grande espectáculo de som e luz com Francisco Fanhais e outros amigos em Setúbal, Sábado, 15 de Dezembro. UM SUCESSO.

15 de Dezembro-
18h: Marcha pela Paz
entre o Pavilhão do Vitória e a Praça do Bocage
18.30h "Celebração da Luz"
Espectáculo de som e luz com:



Francisco Fanhais/ Cantor com história
António Serrano/ Cantor popular/ Setubalense
Jotas/ Grupo juvenil de canção


Praça de Bocage/ Setúbal


Um evento bem sucedido. A grande roda da solidariedade continua. Participe.


O Arestas de Vento esteve presente e solidário.  


10 milhões de estrelas - um gesto pela Paz!


A Cáritas Portuguesa e  a  Cáritas  Diocesana  de Setúbal  aderiram pelo quinto ano consecutivo à operação mundial “10 Milhões  de Estrelas - um gesto pela Paz”  a  realizar entre Novembro e Dezembro do corrente ano.    
O principal  objectivo desta  operação é a  sensibilização para os valores da paz e da solidariedade.
A operação “10 Milhões de Estrelas - um gesto pela Paz" pretende  "tocar " toda a população, independentemente das suas opções políticas ou religiosas. 
É muito importante  a adesão de todos aqueles que  têm  em comum estes valores universais:    Paz, Justiça e  Solidariedade.  Este ano, a campanha é subordinada ao tema:
“A mulher na construção da Paz”.



As verbas obtidas na  campanha serão aplicadas em obras de caracter social.
75% ficam na Diocese:
Projecto de intervenção e integração sócio - profissional para mulheres vítimas da prostituição ou, de outra forma,maltratadas.
Os restantes 25% serão aplicados  em acções Internacionais: 
Projecto de inserção profissional de mães adolescentes  na Diocese de Cabinda
Se tens sede de Paz e de Justiça:
Adere a este desafio!
Mobiliza os teus amigos!
Participa nos eventos!


QUE SE LIXE A CIMEIRA



Realizada no passado fim-de-semana, em Lisboa, a Cimeira Europa-África, contou com a cobertura mediática de montes de jornais, rádios das mais diversas procedências e de televisões a dar com um pau. Foi um evento muito bonito, que contou com a participação de 53 estados africanos e 27 europeus e deixou muita gente de olho em bico, principalmente os chineses, modernos colonialistas, dizem que económicos, do continente africano, e não só, o que deve ser "muita bom" para os africanos e para o resto do Mundo. 
Uma cimeira que custou a bagatela de 10 milhões de euros, mas onde foram assinadas 8 parcerias, tendo trazido Portugal para as bocas do mundo político, económico e cultural (e não sei se desportivo também, o que seria óptimo para acabar com o monopólio do José Mourinho e do Ronaldinho da Madeira...) e considerada como o ponto de partida para uma nova e frutífera relação com a realidade desse grande continente, uma decidida aposta de nova parceria política e estratégica para o futuro risonho dos seus habitantes E de nós, europeus.
Á frente desta grande nau, o timoneiro Sócrates, contentíssimo da vida, todo sorrisos e salamaleques, consciente de que tinha atraído as atenções do Mundo, o que se calhar até lhe vai fazer grande jeito para embrulhar as próximas eleições...
Mas não foi sómente o nosso querido 1º Ministro, José Sócrates, a ser estrela deste acontecimento. Cá para nós, que ninguém nos ouve, até foi capaz de ter ficado em quarto lugar, no firmamento cintilante da Comunicação Social...
Mugabe, tirano do Zimbabwé e assassino de brancos, pretos e de todos os que se opõem ao seu regime, que deixa o seu próprio povo morrer de fome e de sede, quando não à catanada e à bala e se está marimbando para ingleses e sucedâneos, fez queixinhas aos jornalistas sobre a má educação de Gordon Brown, 1º ministro britânico que se recusou a partilhar a mesma sala com ele, e de Angela Merkel, chanceler alemã, que lhe dirigiu duras críticas. Se calhar injustas, pobre do homem!...
Ainda temos outra estrela, Muammar Kadhafi, conhecido promotor do terrorismo internacional, que se fez acompanhar de um harém de simpáticas donzelas e foi acampanhar junto ao mar, em condomónio fechado e bem guardado. Logo que se safou desta cimeira, foi a Paris (óh, Paris!...) falar com o presidente Sarkoz e aproveitou para, em nome da democracia, assinar chorudos contratos de milhares de milhões de euros de armamento e energia nuclear civil. Porreiro, pá!...
Mais um elemento desta montra de assassinos africanos a quem Sócrates apertou a mão e apadrinhou, apadrinhando os seus regimes de terror e de loucura, foi Omar al-Bashir, culpado do genocídio em curso no Darfur, perante a indiferença cumplice da Europa civilizada, e que adora matar pessoas, principalmente os naturais deste martirizado e pobre país que governa, mandando ás urtigas valores e dignidade humana, verdadeiro assassino em massa a que só uma bala pode fazer parar. 
Neste momento, em que os portugueses se sentem desprotegidos e se têm de bater com um fim de ano de alcagoitas, esta cimeira Europa-África talvez também sirva para branquear a situação desumana em que estes três países, entre outros, vivem. Prendas destas no meu sapatinho, recuso, muito obrigado. Que se lixe, a Cimeira!


fernandopereira.JPG


Fernando Manuel Pereira/ Poeta/ Setubalense/ Blogues do autor: http://sempreemluta.nireblog.com/ e http://etcetal.blogs.sapo.pt/ e http://palavrasnovento.nireblog.com/


O IMPORTANTE É A ROSA


Não, não me refiro à rosa dita partidária.
Aqui a Rosa (com letra bem grande) é a... tal!
Aquela que tem sido cantada ao longo dos séculos e séculos por Poetas e Homens de Boa Vontade.
É também, como não poderia deixar de ser, a nossa Rosa.
A Rosa, nascida no Coração, de quem sabe que o importante somente pode ser visto, na sua holística plenitude, com os "OLHOS DA ALMA".
Pois é!...
Temos à porta o Natal de Cristo, a passagem de Ano da Turba Planetária e mais uma GRANDE ESTREIA DE TEATRO MUSICADO PELO GATEM-GRUPO DE ANIMAÇÃO E TEATRO ESPELHO MÁGICO.


0001y440


Desta feita, nada melhor do que relembrar a "eterna estória" (que já entrou na História da Humanidade) do chamado "Principezinho", ou seja, o "Pequeno Príncipe", versão "Espelho Mágico 2008".
Texto adaptado de Céu Campos, músicas de Tó Carlos, poemas de Luís Filipe Estrela e desempenho de 13 actores que continuam, quase todos os dias, a ensaiar numa generosa entrega à Arte e Cultura.
Pois é!...
E parece que ainda existe uma certa, digamos..."franja" da Sociedade que desconhece (ou finge desconhecer) este labor do GATEM.
Meus Amigos: este Grupo existe e deve ser reconhecido e apoiado como tal.
E já agora, até rimando, não pensem que fazemos...mal...em falar e escrever sobre isto.
Não!...
Pior de que ter alguma "vaidade" naquilo que fazemos, será uma bacoca "falsa modéstia".
Porra!... nós até somos bons (muito bons) naquilo que produzimos.
Ou será que não é verdade?
Alguém pode provar o contrário?
Claro que não!
Por tudo isto (e por muito mais que, por enquanto, não dizemos) vamos continuar a "bater nesta tecla".
Senhores responsáveis pela Cultura neste Distrito, façam o favor de não esquecerem o GATEM.
De igual modo, e podem ter a certeza, o GATEM também não os irá esquecer.
Só a CULTURA MELHORA A CIDADE...



Abraço Fraterno,
Luís Filipe Estrela/ Poeta/ Setubalense

Posted by arestas at 11:57 AM

dezembro 13, 2007

Canções apuradas para o 12º Festival da Canção Infanto – Juvenil de Palmela. Mais uma manifestação de grande vigor de um projecto SEMPRE inovador.

Comunicado importante:


A Organização do 12º Festival da Canção Infanto - Juvenil de Palmela, a realizar dia 20 de Janeiro, no Cine Teatro S. João, dessa mesma Vila, informa que as canções apuradas para o evento em causa, foram escolhidas, entre 62 concorrentes e vão ser anunciadas, domingo, dia 16 de Dezembro, nos programas Espelho Mágico e Arestas de Vento da Pal fm (102.2). Mais uma prova de grande vitalidade de um projecto com rasto de singularidade e cultura aos molhos.


A conferência de imprensa para apresentação em DETALHE do programa do Festival em causa está marcada para dia 9 de Janeiro de 2008, pelas 16 horas, no local do espectáculo, o já referido, Cine Teatro S. João, em Palmela.



Clicar em www.espelhomagico.PT  para saber mais sobre o GATEM.


12º Festival da Canção Infanto - Juvenil de Palmela na ribalta no grande palco radiofónico do Arestas de Vento, domingo, 16 de Dezembro.


Arestas de Vento, um programa de rádio que não deve ser ouvido por almas sensíveis e devidamente acomodadas. Um programa com sabor a clandestinidade, onde a verdade, como o salmão, regressa sempre às origens.


Aos domingos, entre as 11 e as 14h, na Pal fm (102.2) e em www.palfm.com


Poesia, crítica, comentários, entrevistas e música, a boa música.
Tudo pelo pensar de Ricardo Cardoso e sua equipa.
Um programa de rádio que é mais do que um local de encontro. É o ADN do verdadeiro povo inconquistado!


12º Festival da Canção Infanto - Juvenil de Palmela na ribalta no grande palco radiofónico do Arestas de Vento, domingo, 16 de Dezembro. Convidados: Céu Campos, Luís Candeias, Bernardo Oliveira e Luís Filipe Estrela.


Tudo sobre o Festival mais cultural do País.


O Arestas de Vento recomenda o ESPECTÁCULO INFANTIL DE NATAL - "FAZ DE CONTA". Ler abaixo e não faltar com a criançada…


DIA 23 DE DEZEMBRO


UM "FAZ DE CONTA" LINDO ...


O grande actor setubalense ÁLVARO FÉLIX, de parceria com o popular actor MANEL BOLA (Carlos Rodrigues) autor do texto e o conhecido músico ALBANO ALMEIDA, montaram um bonito e alegre ESPECTÁCULO INFANTIL DE NATAL - "FAZ DE CONTA" - que conta , também, com as relevantes actuações de ISABEL CANILHO, MIGUEL ASSIS, OLAVO NOBREGA e HELENA GUERRA, com o apoio técnico de JOSÉ SANTOS.


Este espectáculo pode (e deve!) ser visto no TEATRO DE BOLSO (antigas Finanças), em Setúbal, dia 23 de Dezembro.


1ª sessão às 15h e 2ª às 17h.


000dab0s


(Foto do actor Álvaro Félix)

Posted by arestas at 12:35 AM

dezembro 10, 2007

Rescaldo da entrevista a MARCO ALONSO, guitarrista de flamenco contemporâneo com influências jazzísticas no Arestas de Vento, emissão de 9 de Dezembro

Hoje acordei mais cedo para ouvir o Arestas de Vento, foi uma prova que há gente nova que está a levantar a bandeira da cultura e foi uma boa entrevista. Foi gente nova a mudar o mundo e a caminhar pela arte.
FORÇA A LUTA CONTINUA COM VERDADE.
Victor Serra/ Poeta/ Setubalense


Ricardo, um obrigado e a caminhada continua.
Um abraço para ti extensivo à Céu.
Leonel Dias/ Setubalense/ Amigo do Arestas de Vento


Marco Alonso,
Sabe o caminho que trilha não é menino de couro. Fica provado que o ouro nem sempre é o que mais brilha. Este puto maravilha brilha mais que um tesouro.
Abraço
José Gago/ Poeta Popular/ Palmela


MAIS UM GRANDE DESAFIO!
A padroeira da música é uma mártir, Santa Cecília, que, no século I I, foi queimada num caldeirão sobre carvão em brasa, enquanto entoava hinos. Dez séculos passados, esta imagem de sacrifício, de fidelidade a uma crença ainda é muito forte e compreendida. Há quem consiga permanecer, não importa o tamanho e força das ondas, fiel a um ideal, a um objectivo. Parece-me ser o caso do jovem talento MARCO ALONSO, moderno trovador com uma visão musical inovadora que, durante a entrevista que deu à Rádio PAL, programa Arestas de Vento, soube transmitir em língua vulgar, acessível, uma curiosa instintividade com grande base de improvisação, condição que o dedilhar da guitarra, ao vivo no estúdio, deixou bem vincada. A eterna aprendizagem, seja no jazz ou no flamengo, indiscutíveis músicas populares, é a única forma conhecida de perpetuar sons, estados d'alma, sensações descobertas e naturalmente partilhadas, onde cada nota é uma sílaba arrancada do interior de nós mesmos, transmitida como sinais vivos de poesia nunca realizada, sempre aberta a novas letras, novos sons.
O início da história do jazz foi marcado pelo aparecimento de bares clandestinos nos EUA, logo após a implementação da chamada "lei seca". Nestes bares as pessoas reuniam-se para beber, escutar e dançar a música mais popular e contraditória da época. Foi assim que o jazz se tornou um dos maiores fenómenos musicais do último século e continua a ter milhares de seguidores, independentemente das experiências que com ele fazem, o que não o emagrece nem lhe tira identidade, antes dá-lhe mais vigor, mais energia, mais alma. A fusão do jazz com o flamengo, com o samba ou com outra qualquer "corrente" musical é, segundo os estudiosos da matéria, uma agradável forma de fazer com que o sangue circule por todas as veias.
No flamengo, a guitarra, vélhinha de mais de 5ooo anos e que surgiu em Espanha durante o século XV, tem sido a natural acompanhante deste estilo musical e tipo de dança ligados à região de Andaluzia, tão apreciado por espanhóis e portugueses, cuja étnia cigana, de ambos os países, a adoptou e promove, também.
Parabéns, portanto, a este jovem de 24 anos, que ainda está a dar os primeiros passos neste mundo nem sempre pacífico da música. É agora a altura certa de ser "ajudado".
E foi o que o RICARDO CARDOSO fez, utilizando esse grande centro difusor da cultura que se chama ARESTAS DE VENTO, mais uma vez abraçando um grande desafio: fazer circular e dando a conhecer o que não é lançado oficialmente...
É por estas e por outras, mais por estas, que este Programa é considerado um exemplo perfeito de como se deve lidar com a BOA e GENUÍNA cultura popular e seus intérpretes. Quantos programas radiofónicos no nosso País, particularmente no nosso distrito, se podem orgulhar disto?
Fernando Manuel Pereira/ Poeta/ Setubalense/ Blogues do autor: http://sempreemluta.nireblog.com/ e http://etcetal.blogs.sapo.pt/ e http://palavrasnovento.nireblog.com/


E mais uma vez o Arestas de Vento está de parabéns com mais uma grande e extraordinária entrevista !!! Fico contente por sentir que  os novos talentos, assim como o Marco Alonso e com um grande futuro pela frente, não são esquecidos e sim valorizados! Claro que só no vosso programa a semear Cultura e com grande profissionalismo é que isto acontece!! Obrigada pelo grande programa e singular, que nos enviam todos os domingos!! "Um programa de rádio que é mais do que um local de encontro" que eu subscrevo!!!
Continuação de boas e grandes entrevistas.
Festas Felizes para toda a equipa do Arestas de Vento.
Cristina Videira/ Poetisa/ Personalidade da canção Infanto - Juvenil / Cidadã de Almada


Senhor Ricardo
Foi para mim uma completa surpressa esse jovem guitarrista. Sim, senhor, ele é mesmo bom. Um nome a fixar. E este elogio é dado por alguém cuja mulher nasceu em Espanha, neta de andaluzes e que é completamente "apanhado" pelo flamengo e... pelo jazz! Prevejo um bom futuro para este jovem.
Agora, uma pergunta: onde é que o amigo Ricardo e a sua equipa vão descobrir estes desconhecidos talentos?
Mais uma vez o Arestas de Vento provou ser um programa de alto quilate, aberto e sem teias de aranha ou risíveis preferências pimbas. Continuem assim, que a cultura popular agradece.
Cordialmente
António Nobre, alfacinha, cidadão do mundo e ouvinte fiel do Arestas de Vento.


Querido e estimado amigo António Nobre, tenho o prazer de esclarecer que o Marco Alonso chegou ao Arestas de Vento pelas mãos do poeta Victor Serra. Em boa hora...
O muito amigo
Ricardo Cardoso/ Autor do programa Arestas de Vento


Amigo Ricardo,
Gostei imenso da entrevista ao Marco Alonso. Acho que o entrevistado, embora novo nestas andanças, soube responder, com alguma ajuda da tua parte. Mas, isso até ficou bem. Saiu por cima.
Um grande abraço
Carlos Resende/ Radialista/ Setubalense



Eu disse que vocês com a entrevista ao meu amigo Rui Guerreiro ganharam mais um ouvinte e hoje reafirmo o que disse pela grandeza da entrevista ao jovem prodigioso Marco Alonso. Já tinha visto uma actuação dele em Palmela, por acaso numa noite fria e ventosa e fiquei logo com muito boa impressão dele e agora confirmei com a entrevista no Arestas de Vento.
De novo os meus parabéns ao produtor do programa e ao rádio Palmela.
Um abraço ao Marco Alonso e nunca desista.
Rui Manuel Santos Lopes/ Montijense


Sr Ricardo e família. Muito agradecido pela saudação no programa Arestas de Vento. O Sr Marco Alonso correspondeu.
Também tenho a entrevista.
Amanhã pode ouvir se quiser.
Gosto bastante de musica flamenga e o Sr Marco Alonso é um guitarrista de se tirar o chapéu.
Parabéns.
Alexandre Kasesa/ Esperantista/ Cidadão de Moscavide


Clicar na figura imediatamente ABAIXO para ver e ouvir actuação de MARCO ALONSO


Posted by arestas at 11:03 PM

dezembro 08, 2007

VIVA O GATEM...VIVA O TEATRO… VIVA O PEQUENO PRÍNCIPE… UM "PEQUENO PRÍNCIPE" a estrear em Palmela, no dia 20 de Janeiro de 2008, no 12º Festival da Canção Infanto - Juvenil de Palmela... UM ENCONTRO NACIONAL DE CULTURA.

Aquilo que CÉU CAMPOS, RICARDO CARDOSO, todos os actuais e anteriores COLABORADORES e a PAL FM (102.2) fazem no âmbito da boa cultura teatral musicada não deve ser apenas reconhecido COMO FORTEMENTE APOIADO. E cala o bico… caso contrario… estão vendo outro filme. Não são daqui.


Dizem que o Circo é o maior espectáculo do Mundo. Tudo bem, até podemos concordar. No entanto, para a nossa sensibilidade poética e filosófica, nada se poderá comparar ao somatório de disciplinas culturais que, no Teatro (e de certo modo, também no cinema) se casam na perfeição. Fernando Pessoa, criativo que dispensa apresentações, já nos falava da conjugação entre Literatura, Música, Dança e outras artes, levadas à cena e praxis Teatral.


Pois é... tudo se conjuga idealmente em cima de um palco. Palco esse que é a total representação do próprio Mundo e Universo.


Tudo o que se possa dizer sobre aquilo que é o Teatro será sempre pouco se não considerar todas estas questões de índole, digamos... mais profundas. O Homem e o próprio Universo, tendo por "amantes de caminho" a Vida e sua irmã gémea a Morte.
Tudo isto "ao vivo e a cores", e bem na tal "hora" que sempre nos parece escapulir entre os dedos e a memória.



Serve esta pequena e singela introdução para vos dizer hoje, caros ouvintes do Arestas de Vento, que, em conformidade com esta visão cultural, é da mais elementar JUSTIÇA que se escreva e fale de um Grupo Teatral que já entrou na História do Teatro Infanto-Juvenil feito em Portugal. Por tudo aquilo que tem feito ao longo de mais de uma década o GATEM - Grupo de Animação e Teatro Espelho Mágico, já é um marco de diferença e qualidade no panorama nacional.


Merece pois, e sem qualquer favor do tipo: "vamos lá falar do Grupo, porque sim..." que se diga à sociedade que, com a actual peça de Teatro Musicado em preparação para estreia no dia 20 de Janeiro de 2008, no Cine -Teatro S. João – Palmela, já são doze (12) maravilhosos produtos culturais levados à cena pelo Grupo Espelho Mágico.


Meus amigos, é obra!


E tudo isto pelo singular pensar e concretizar de um casal da Cultura local e nacional que tem nos programas da Pal – fm, Espelho Mágico e Arestas de Vento, o "ponto de Arquimedes" para criar as chamadas "mais valias criativas" que nos ajudam a saber sonhar melhor e melhor saber... escolher.
ESCOLHER. ESCOLHER, MEUS AMIGOS, É DISSO QUE SE TRATA. SABER ESCOLHER MELHOR!


Quando o Ser Humano, e a Sociedade por si sustentada, aprende a ESCOLHER, NO sentido mais lato do termo, então temos "o caldo entornado".


POIS É!... não tenham duvidas. O actual sistema neo-liberal não admite... ESCOLHAS SUSTENTADAS!


Aquilo que CÉU CAMPOS, RICARDO CARDOSO, todos os actuais e anteriores COLABORADORES e a PAL FM (102.2) fazem no âmbito da boa cultura teatral musicada não deve ser apenas reconhecido COMO FORTEMENTE APOIADO. E cala o bico… caso contrario… estão vendo outro filme. Não são daqui.


É claro que os mentecaptos e todos os mal intencionados ideologicamente (os tais sustentadores do mais negro neo-liberalismo selvagem) têm grotesca isenção neste processo.


Nós até já os conhecemos à légua... e deles queremos distância.


Agora os outros... aqueles e aquelas, pessoas e instituições que, obviamente, pretendem construir uma Sociedade Culta e Desenvolvida na base da Solidariedade e Inclusão, devem reconhecer a APOIAR o GATEM.


Só para vos deixar com água na boca apenas vos digo, amigos do Arestas, que a peça "Pequeno Príncipe", com adaptação livre de texto de Céu Campos, músicas de Tó Carlos e poemas deste vosso irmão, está toda ela a ser devida e arduamente ensaiada para surpreender tudo e todos. Sobretudo para choque profiláctico de muito BOM FILHO DA... NATUREZA que, na mais vil traição à amizade e falta de respeito aos mais sagrados valores solidários, não sabe honrar a palavra Cultura. Partir de uma base clássica e universal, com rumo às saudades do futuro, eis o projecto diferente e inovador do GRUPO DE ANIMAÇÃO E TEATRO ESPELHO MÁGICO. Bom texto, excelente música, certeira mensagem e novas tecnologias ao serviço da Criança, do Jovem e do Adulto, sobretudo aquele que não quer perder (NUNCA) a Criança que existe em si.


Meus Amigos: no fundo, lá bem no fundo... até os tais filhos desnaturados, sabem perfeitamente duas coisas.
Primeiro... Cultura de barriga vazia, não pode ser!
Por fim mas, naturalmente,  não menos importante, "o essencial, o mais importante, só se vê com o CORAÇÃO".


Como diz o Nazareno e agora que passa mais um aniversário da sua Vinda... QUEM PUDER ENTENDER, ENTENDA!
 
VIVA O GATEM...VIVA O TEATRO… VIVA O PEQUENO PRÍNCIPE…


UM "PEQUENO PRÍNCIPE" a estrear em Palmela, no dia 20 de Janeiro de 2008, no 12º Festival da Canção Infanto - Juvenil de Palmela... UM ENCONTRO NACIONAL DE CULTURA.


Clicar em www.espelhomagico.PT  para saber mais sobre o GATEM.


Abraço Fraterno,
Luís Filipe Estrela/ Poeta/ Setubalense

Posted by arestas at 02:04 PM

dezembro 07, 2007

MARCO ALONSO, guitarrista de flamenco contemporâneo com influencias jazzísticas é o convidado especial do Arestas de Vento, domingo, 9 de Dezembro

Arestas de Vento um programa polémico de rádio ligado ao fascínio da palavra. Um lugar singular onde as ideias, a  solidariedade, a cultura  e a boa politica fazem sempre sentido!!! Tudo... aos domingos, das 11 às 14h em 102.2 fm (Radio Pal) e em www.palfm.com


Conforme já foi amplamente anunciado, a emissão de domingo, dia 9 de Dezembro, vai ter como parte de leão, entre as 12 e as 14h, uma grande entrevista ao musico MARCO ALONSO.


Alto lá! Vamos ter mais: Nunca por nunca perder os textos habitualmente corrosivos de Fernando Manuel Pereira e Luís Filipe Estrela, a boa cultura popular de José Gago e a melhor musica portuguesa (Zeca Afonso, Fernando Tordo, Jorge Palma, Carlos Mendes, José Barros, Francisco Fanhais, etc...).


Ninguém pode perder.


Diz-me um amigo que um poeta lhe disse (Sebastião da Gama...) pelo sonho é que vamos e eu fiquei a pensar...


Fernando TordoRicardo Cardoson.JPG


Pergunta Ricardo Cardoso:


Amigo Tordo! Não tinhas (tens?) uma canção vencedora (salvo erro) de um Festival da Rádio Comercial? Festival bastante singular ...  montado ... com a maior das naturalidades ... em redor do grande Isidro, da rádio, tv e disco? Canção essa, se bem me lembro, virada para o espaço "fazer festas nas nuvens com as pontas do pés..."
É assim?


Resposta adequada de Fernando Tordo:


“Diz-me um amigo que um poeta lhe disse (Sebastião da Gama...) pelo sonho é que vamos e eu fiquei a pensar..."
Afinal, tens a mania que sabes tudo mas está de chuva. Qual Isidro? “Celestial era sensacional, ensinando aos amigos música espacial...
fazer festas nas nuvens com a ponta dos pés, sem ninguém querer saber e perguntar quem és...
e para quem gostar de dar, ter vontade de amar.”


Clicar em Fernando Tordo   para viver canções de um dos mais talentosos cantores da sua geração. Um cantor com História.


QUE LEGADO PARA OS NOSSOS FILHOS?



Durante uma acção de limpeza, no passado dia 24 de Novembro, nas praias do Portinho e do Creiro, situadas na Serra da Arrábida, promovida pelas Associações ambientalistas Liga para a Protecção da Natureza, Clube de Montanhismo da Arrábida e "O GEOTA", com o apoio da Junta de freguesia de S. Lourenço (Azeitão), Fundação Oriente, Câmara Municipal de Setúbal e Parque Natural da Arrábida, foram retiradas QUATRO toneladas de lixo, numa acção que também pretendia sensibilizar a população e os utentes para a educação ambiental.  Desde embalagens de plástico e de vidro, fraldas, roupas, redes de pesca, cacos de velhos barcos, não contando com a lixeira que o mar acumula nas praias, de tudo os 60 voluntários envolvidos nesta campanha encontraram. Os 200 sacos, com capacidade cada para 20 quilos, foram insuficientes.
Esta campanha não foi única. No passado, outras foram levadas a cabo por diversas organizações, nomeadamente pelos Escuteiros e pelos alunos de diversas escolas, além da limpeza efectuada pelo pessoal do próprio Parque Natural. Mas, pelos vistos, não tem obtido grandes resultados.
De uma beleza impar, com riquezas naturais e patrimoniais que por si só justificaram a classificação de Parque Natural, concedida em 1976, a Serra da Arrábida possui cantos e recantos de sonho. As suas praias e as encostas a elas coladas, são do mais bonito e encantador que existe e não merecem estar sujeitas a tanta falta de civismo, de cidadania e, principalmente, a uma total falta de respeito pela natureza.
É triste, muito triste, vermos, num quadro de natureza de tons verdes, areias douradas e mar azul, entulhos, pneus, plásticos, tudo acompanhado de um aroma que nada tem a ver com a maresia... E são os utilizadores, os veraneantes, quem comete o crime de destruir este mundo único e paradisíaco, sem perceberem, devido a este comportamento social, os problemas que causam às praias e à serra, com irrecuperáveis consequências futuras.
É necessário e urgente que todos nós cuidemos do ambiente para que possamos contribuir para um futuro melhor, com mais qualidade de vida. Preservar a Serra da Arrábida é contribuir para que este mundo, afinal o único que conhecemos, possa ser entregue aos nossos filhos como um bem precioso e não como um mundo degradado e em degradação.
Um abraço para todo o auditório.


profile-photo 


Fernando Manuel Pereira/ Poeta/ Setubalense/ Blogues do autor: http://sempreemluta.nireblog.com/ e http://etcetal.blogs.sapo.pt/ e http://palavrasnovento.nireblog.com/

Posted by arestas at 11:13 PM

dezembro 05, 2007

O Arestas de Vento recomenda o ESPECTÁCULO INFANTIL DE NATAL - "FAZ DE CONTA". Ler abaixo e não faltar com a criançada…

DIA 23 DE DEZEMBRO


UM "FAZ DE CONTA" LINDO ...


O grande actor setubalense ÁLVARO FÉLIX, de parceria com o popular actor MANEL BOLA (Carlos Rodrigues) autor do texto e o conhecido músico ALBANO ALMEIDA, montaram um bonito e alegre ESPECTÁCULO INFANTIL DE NATAL - "FAZ DE CONTA" - que conta , também, com as relevantes actuações de ISABEL CANILHO, MIGUEL ASSIS, OLAVO NOBREGA e HELENA GUERRA, com o apoio técnico de JOSÉ SANTOS.


Este espectáculo pode (e deve!) ser visto no TEATRO DE BOLSO (antigas Finanças), em Setúbal, dia 23 de Dezembro.


1ª sessão às 15h e 2ª às 17h.


000dab0s


(Foto do actor Álvaro Félix)


Salvemos as Baleias


O Japão voltou à caça às Baleias e tal como nos golfinhos pouco se importa com os protestos internacionais contra a chacina de animais amigos e maravilhosos que são vítimas do homem com sua ganância e ambição.
Salvemos esses animais dos Oceanos que são alvo da perseguição da espécie mais perigosa e predadora do Planeta nos últimos anos.
Ouça aqui a canção do Roberto Carlos dedicada às baleias e acompanhe as imagens do vídeo neste link:
http://www.novaera-alvorecer.com/as_baleias.htm
Rui Palmela

Posted by arestas at 12:15 AM

dezembro 03, 2007

Teatro Artimanha COM MUITO SUCESSO no grande palco radiofónico do Arestas de Vento, domingo, 2 de Dezembro.

RESCALDO DA ENTREVISTA A RUI GUERREIRO


figm.jpg 


Amigo Ricardo e amiga Céu!
Os meus parabéns por mais esta grande e extraordinária entrevista a mais um óptimo entrevistado!
Sinto-me feliz e honrado por fazer parte da grande audiência que tem o Arestas de Vento.
Tudo isto só é possível com o vosso brilhante profissionalismo em prol da cultura e das chagas sociais que abundam no nosso país e quiçá no mundo!
Em frente amigos!
Gabriel Castanhas/ Cidadão da histórica Vila do Couço/ Sítio do artista:  www.gabrielcastanhas.com.sapo.pt


Senhor Ricardo,
Ainda estou a saborear a entrevista que fez ao Rui Guerreiro,  homem do teatro, de um teatro a que alguns ainda teimam em chamar de amador, muito provavelmente por conveniências próprias e objectivos que não custam nada em entender...
Um pouco hesitante ao princípio, recuperou a descontracção e assumiu-se claramente como pessoa a quem o teatro tudo deu e dele tudo recebeu.
O Ricardo também não utilizou paninhos quentes, fez as perguntas devidas, pertinentes. O Rui que continue irreverente. E não deixe fazer ninho atrás da orelha... Parabéns!
A crónica do Fernando Manuel Pereira foi enternecedora. Foi um verdadeiro abraço sentido. Com amigos assim, as agruras da vida são mais facilmente ultrapassadas. Também desejo rápidas melhoras ao Sr. Leonel, que não conheço.
Para o Ricardo Cardoso o desejo que continue sem desfalecimentos a luta pela BOA cultura, trazendo-nos estes magníficos intérpretes.
Cordialmente
António Nobre, alfacinha, cidadão do mundo e ouvinte fiel do Arestas de Vento.


Amigo Ricardo,
Gostei do Arestas de Vento, do qual já tinha saudades.
Continua firme Ricardo.
Um grande abraço extensivo à Céu
Leonel Dias/ Setubalense/ Amigo do Arestas de Vento


UM GUERREIRO NA ARENA DO ARESTAS
O popular programa ARESTAS DE VENTO, ancorado na Rádio Palfm (Palmela-Portugal), existe e sobrevive porque tem audiência e, se tem audiência, tem anunciantes... É um programa real, sem alienação, com muita discussão e polémica que, por isso mesmo, ganha qualidade, sendo, cada vez mais, uma boa opção para as manhãs/tardes de domingo. O auditório já percebeu que este programa ressurge semanalmente porque cumpre um relevante papel social e cultural, respeitando a informação disponível, sem adulterar o seu conteúdo. É a ética, a cidadania, o bom profissionalismo (em contra-ponto ao amadorismo fracote e abortado), a falar mais alto. E com isto soube desenvolver no público um senso crítico, inteligentemente amparado por uma reflexão profunda, direccionada para as entrevistas apresentadas.
Prova do que acima se afirma, foi a conversa tida com o homem do teatro, Rui Guerreiro, no passado domingo, que chegou ao auditório, "vivinha da silva", sem pózinhos de conservação e sem rotulagem ambígua.
Nunca gostei de gente arrogante. O arrogante defende estupidamente os seus princípios e posições, recusam-se a ouvir os outros, não reconhecem os erros cometidos. É gentinha deste jaez que torna turvo qualquer projecto. Orgulhosos e arrogantes, certamente ao ouvirem a entrevista que serve de tema a esta crónica, deveriam ter pensado em arrepiar caminho (uma auto-crítica marxista ou uma confissão à maneira seria aconselhável) e seguirem o exemplo do Jovem RUI GUERREIRO, algarvio radicado na Vila Pinhal Novo, que demonstrou possuir uma convicção do que ele é, das suas capacidades, forças e fraquezas que, conhecendo os seus próprios limites, sem queixumes ou lamentações, tem procurado, como afirmou, aperfeiçoamentos, sem ressentimentos ou invejas, muito vulgares no "meio teatral" onde se move.
Dele, não deu ao auditório uma falsa humildade, não foi servil nas palavras. Teve atitude, não se refugiou no gueto alienante que asfixia de contornar as perguntas ou delas se esquivar. Mostrou-se à-vontade no palco do Arestas, enfrentando um gladiador de arma cortante, crítica, sem desconforto, vestido com uma roupagem de responsabilidade social e cultural adquirida e transmitida através do teatro. Mais uma boa entrevista a merecer honras de ser incluída no Diário de Bordo do Arestas de Vento.
BOAS FESTAS para todos.
Fernando Manuel Pereira/ Poeta/ Setubalense/ Blogues do autor: http://sempreemluta.nireblog.com/ e http://etcetal.blogs.sapo.pt/ e http://palavrasnovento.nireblog.com/


Estimado Ricardo,
Não sei se o texto é seu se do Luís. Deduzo que seja dos dois. Se assim for, muito obrigado a si por o ter aceite e colocado em antena e ao Luís pelo que escreveu. Se é o Ricardo o autor estou grato pelas duas razões.
Quando se diz ou escreve de mim coisas como estas, sinto-me, de verdade, muito pequenino. Porque me assaltam logo os  limites, que são muitos. Por outro lado, acredite, tenho a plena convicção de que não faço mais do que o que se pede a um cidadão consciente das suas obrigações cívicas.
Esforço-me por não viver contradições e ser sincero comigo mesmo e com os outros. Oxalá, que nunca seja "pedra de tropeço" para ninguém e se já fui para alguém, só me resta se merecedor da sua complacência. .
Só uma pequenina nota correctiva: frequentei a "escolinha da D. Adelaide", no Bairro Santo Nicolau. A da "D. Natália" foi a que frequentou a minha mulher. Este esclarecimento é só por justiça à D. Adelaide.
Estou a ler este texto em Bruxelas, já que, por aqui estar, não o pude escutar através do "Arestas de Vento".
Abraça-o e a toda a equipa com muita cordialidade o
Eugénio Fonseca/ Presidente da Cáritas


Querido e estimado amigo Eugénio da Fonseca, tenho o prazer de esclarecer que o texto em causa é da autoria do criativo Luís Filipe Estrela.
O muito amigo
Ricardo Cardoso/ Autor do programa Arestas de Vento


"GLOBALIZAR A CARIDADE. CONSTRUIR A PAZ"
será a palestra a proferir por D. Carlos Azevedo, Bispo Auxiliar de Lisboa e Secretário da Conferência Episcopal Portuguesa, na próxima 6.ª feira, dia 7, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Setúbal, pelas 21h30.
Não falte! Passe a notícia. Leve um/a amigo/a.
Vai valer mesmo a pena.
A Direcção da Cáritas Diocesana de Setúbal


Não vou abaixo. Quem tem amigos tem quase tudo ou mesmo tudo. A solidariedade é uma valor inatacável. Juntos valemos mais. Venceremos.
Um grande abraço extensivo à Céu
Leonel Dias/ Setubalense/ Amigo do Arestas de Vento


Já ouço o programa Arestas de Vento na rádio Pal há muito tempo e fiquei surpreendida quando ouvi a voz do Rui, sinceramente nunca pensei que o levassem à rádio de Palmela, pelo simples facto do teatro Artimanha ser do Pinhal Novo e as rivalidades serem infelizmente muitas e também muito alimentadas por quem delas tira proveito.
O Rui esteve bem embora um pouco atrapalhado nalgumas respostas. Eu gostei e o Arestas de Vento é um exemplo para todas as rádios do distrito de Setúbal.
Maria Cândida de Melo/ Cidadã do Pinhal Novo


Rui Guerreiro, um guerreiro com Artimanha e talvez com algo mais. Não admira que dê castanha aos outros grupos rivais.
José Gago/ Poeta Popular/ Cidadão de Palmela


Mais uma escorreita entrevista onde o Teatro teve honras maiores. Realmente PALMELA, e região, está bem servida de criação teatral. Neste contexto nunca se poderá olvidar (branquear) a excelente contribuição do GATEM. São 12 Produções ao mais alto nível. Se a chamada "vaidade" é de evitar, sobretudo na parte que nos toca enquanto autor/actor do ESPELHO MÁGICO, a falsa modéstia será muito pior. Somos bons e fazemos teatro musicado de qualidade.
Parabéns ao Rui Guerreiro e ao seu Artimanha. Força.
VIVA O TEATRO...VIVAM OS GRUPOS DE TEATRO!
Luís Filipe Estrela/ Poeta/ Setubalense/ Director do Jornal Viva Setúbal


Vocês com a entrevista ao meu amigo Rui Guerreiro ganharam mais um ouvinte.
Os meus parabéns ao produtor do programa e ao rádio Palmela.
Um abraço Rui nunca desistas e não esqueças a malta do Bardoada.
Rui Manuel Santos Lopes/ Montijense


Sr Ricardo e família. Muito muito agradecido pela saudação no programa Arestas de Vento. Mais uma vez uma grande entrevista. Sei que foi feita com prazer e o Sr Rui Guerreiro correspondeu. Tenho a entrevista toda gravada e esta? Fiquei muito sensibilizado com o texto do Sr Fernando Manuel Pereira sobre o Sr Leonel Dias, bem como com o texto do Sr Luís Filipe Estrela sobre o Sr Eugénio da Fonseca.
Alexandre Kasesa/ Esperantista/ Cidadão de Moscavide


Ricardo Cardoso, meu amigo, boa entrevista ao Rui Guerreiro. Como sempre, foram duas horas muito interessantes. Tenho o meu CD quase pronto a sair. Conto contigo e com a Céu na apresentação amigo e força Leonel Dias.
António Serrano/ Cantor Popular/ Setubalense


Olá, boa noite.
Deixo-vos um link para um vídeo
http://www.youtube.com/watch?v=Tu9HPz__3ys
Jorge Palma, sempre igual a si próprio, único....
O CD vende como pãezinhos quentes apesar de tudo aquilo que sabemos ser fácil e gratuito de obter.
Cecília Fernandes/ Amiga do Arestas de Vento


Amigo Ricardo, mais uma grande entrevista. O teatro é uma mais valia no Concelho de Palmela.
Muitos parabéns ao convidado do grupo Artimanha e parabéns ao Fernando Manuel Pereira pelo lindo texto que dedicou ao Leonel Dias que não conheço, mas é como se conhecesse e também quero dar os parabéns ao Luís Filipe Estrela por ter falado no doutor Eugénio da Fonseca, uma pessoa que admiro há muitos anos. Esta semana vou passar pela Caritas para tratar de assuntos pessoais.
Muita sorte e saúde para eles.
Júlio Sarmento/ Moçambicano/ Português/ Lisboeta/ Amigo do Arestas de Vento


(Em actualização…)


ÁLVARO FÉLIX


000d88ap


UM ACTOR SETUBALENSE, COM IDEIAS...
ACTOR MULTIFACETADO.


Ligado ao Teatro de Animação de Setúbal durante 12 anos, o actor Álvaro Félix considera que os "bonecos" que deram maior projecção à sua carreira teatral foi o "Manel da Arrábida", que encarnou na revista popular "Era uma vez em Setúbal", e a personagem "Salema", a que deu vida na RTP2, no programa Iniciativa, se bem que recorde com satisfação o papel que desempenhou na peça "O Pai Tirano", levada à cena pelo TAS, e onde fazia de contra-regra. A fadista castiça "Arlete Facada" é, também, um dos seus "bonecos" cómicos mais bem conseguidos.


Em Setúbal, actualmente, toda a gente o conhece, devido ao espantoso boneco que criou e que tem vindo a obter assinalável êxito, retratando a figura de Bocage, em estátua.


A trabalhar por conta própria,  num simpático snack-bar situado na Avenida Luísa Todi, quase frente ao Coreto, este actor setubalense, nascido na popular zona da Fonte Nova, é o criador de um interessante projecto, à base de poesia, "O BOCAGE VAI À ESCOLA", que tem como finalidade dar a conhecer aos estudantes o Poeta e a sua Obra. Este projecto foi há mais de um ano apresentado à Edilidade Sadina, mas até agora ainda não recebeu resposta. Nem sim, nem sopas.
Fica-nos a satisfação de saber que o Álvaro é um grande actor setubalense, porque santo na sua terra...
Recorte completamente roubado (ora cá tá uma coisa bem feita!) ao blog do querido amigo Fernando Manuel Combate Pereira:   http://etcetal.blogs.sapo.pt/ 

Posted by arestas at 11:29 PM

dezembro 01, 2007

Ter amigos é um privilégio. Sou grato pelos que tenho, pelos que comigo convivem no dia-a-dia, mesmo que nos vejamos uma só vez por ano, uma só vez de tempos a tempos.

FORÇA, AMIGO LEONEL!!!


Com a cumplicidade assumida do Ricardo Cardoso, hoje abri a arca das recordações, afastei o pó e tirei cá para fora meia dúzia de memórias antigas, espalhadas em páginas e fotografias, como esboços de paisagens, umas sendo-o mesmo, outras nem tanto, todas tilitando dentro do meu inquebrável cofre-porquinho, pecúlio certo e sempre à-mão neste mundo desigual, com ziguezagues de cabeçudos em feiras concorridas, onde as promessas não passam de balelas cariadas proferidas um dia por idiotas vaidosos, cujo peito inchado de aprendizes de ditadores já não engana ninguém...  É a sacanagem à solta e impune, que mais fortalece em nós o desejo, como antigamente, de contra eles lutar... e vencer!
 
Coisas antigas, recordações que transportam velhos amigos, amigos que nunca esmoreceram nesta passagem inexorável do tempo, que influenciaram naturalmente a nossa vivência, que connosco percorreram caminhos, alguns bem difícieis, horas e horas de palavras em tertúlias conspirativamente culturais, prenhes de política, quantas vezes escondida nos abraços, nos apertos de mão, nos olhares, nos ajuntamentos espontâneos, vigiados,  enquanto, por exemplo,  certos jornais não chegavam da Capital. Pela luta e pela presença, pelo quebrar das algemas e pelo desejo de alcançar a liberdade. São os amigos duradouros, eternos, em marés de sentidos, que nunca nos medem o comportamento diário nem pretendem influenciar-nos com alinhamentos políticos ou crenças pessoais. Algumas amizades simplesmente são, não são explicáveis, são como um piano às voltas de si mesmo, tocando sempre, sem serpentinas ou enfeites carnavalescos, bobos, ridículos, mesquinhos.
 
Faz parte da nossa existência encontrar e conhecer pessoas, interagir. Mas encontrar pessoas interessantes é mais complicado. Por vezes, muitas vezes, enganamo-nos a respeito dos nossos amigos. São as amizades falidas, perdidas. Não reclamo. Tenho perdido, ao longo da minha vida, alguns amigos. São os escombros das amizades. 



Ter amigos é um privilégio. Sou grato pelos que tenho, pelos que comigo convivem no dia-a-dia, mesmo que nos vejamos uma só vez por ano, uma só vez de tempos a tempos, porque mesmo assim valorizam a nossa existência, dão-lhe conteúdo, fortalecem a nossa forma de estarmos na vida porque, com amizade , todos os destinos ganham novos rumos, novas lutas, novos objectivos. É a roda da vida a girar pelo caminho certo.
 
Há amigos que estão e estarão sempre presentes e com os quais contamos sempre. E eles, connosco. É uma natural empatia.


Ricardo,
O nosso escritor e romancista Camilo Castelo Branco, no final da sua vida, já cego, escreveu este magnífico poema. Nestes tempos friorentos, talvez sirva de carapuça a alguns...


OS MEUS AMIGOS
 
Amigos cento e dez e talvez mais
Eu já vos contei! Vaidades que eu sentia!
Pensei que sobre a terra não havia
Mais ditoso mortal entre os mortais.


Amigos cento e dez, tão serviçais,
Tão zelosos das leis da cortesia,
Que eu já farto de os ver, me escapulia,
Às suas curvaturas vertebrais.


Um dia adoeci profundamente,
Ceguei. Dos cento e dez, houve um somente
Que não desfez os laços quase rotos.


Que vamos nós (diziam) lá fazer?
Se ele está cego, não nos pode ver...
Que cento e nove impávidos marotos!



Força, Amigo LEONEL. Toda a equipa que semanalmente faz o Arestas de Vento, certamente os milhares de ouvintes, todos os teus Amigos te desejam rápidas  melhoras. Com a tua indiscutível força de vontade, irás ultrapassar este mau momento. Não te deixes derrubar! Força, companheiro, conta sempre com a nossa amizade e solidariedade!!!


fernandopereira.JPG


Fernando Manuel Pereira/ Poeta/ Setubalense/ Blogues do autor: http://sempreemluta.nireblog.com/ e http://etcetal.blogs.sapo.pt/ e http://palavrasnovento.nireblog.com/


Prof. Eugénio da Fonseca, exemplo de plena Cidadania Cristã.


O Tempo passa a correr.



(Eugénio da Fonseca)


Há quem diga até que não corre, VOA!
Até pode ser um lugar comum, ou mesmo mais do que comum. Mas é verdade!
Pois é... recordamos como se fosse ontem a entrada na Escola Primária. A chamada Escola do Sousa.
Bem na zona das Fontainhas, em frente ao actual Edifício das Finanças.
Antes da Escola do Sousa, foi a escolinha particular no chamado "bateréu das Fontainhas".
Já lá vão cerca de 45 anos.
Foi nesse Tempo, quando ainda acreditávamos no "Menino Jesus" e pouco ou nada sabíamos do Pai Natal da Coca-Cola,
que aprendemos a ler e a escrever.
Nós e o Professor Eugénio da Fonseca, na companhia de vários outros meninos e meninas que tiveram o privilégio de frequentar a "escolinha" da Professora Natália.
Por essa "escolinha", e depois pela do "Sousa", passaram dezenas e dezenas de (hoje em dia) conhecidos Setubalenses.
Mas nenhum alcançou a dimensão do Prof. Eugénio da Fonseca.
Falo-vos, caros amigos do "Arestas de Vento", da dimensão holística de um Homem que, antes de tudo, é um CRISTÃO.
CRISTÃO no sentido pleno da palavra. CRISTÃO sem limitações de ordem menor. CRISTÃO que, como tal, só sabe (e pode) viver em activa atitude Solidária e Inclusiva a vários níveis.
O Tempo passa a correr...
Assim como já passaram cerca de 45 anos sobre o nosso primeiro contacto, também no passado dia 29 de Novembro,  passou um ano sobre a primeira intervenção cirúrgica efectuada ao distinto Cidadão em causa.
Foram momentos dramáticos. Chegou-se a temer o pior. Mas Deus, escreve direito por linhas tortas...
As agoirentas vozes foram caladas pela Divina Providência e o Prof. Eugénio, meritório "TRABALHADOR da SEARA do SENHOR", não esquecendo os seus verdadeiros Amigos, a todos endereçou uma pequena "pérola de gratidão e louvor ao Senhor do Universo" como forma de reconhecido agradecimento a DEUS e aos HOMENS DE BOA VONTADE que por si oraram.
As palavras que se seguem servem, na perfeição, para todos nós sentirmos a necessidade de parar e reflectir.
 
" Nunca me cansarei de louvar o Senhor por nunca me ter abandonado e quis servir-se deste seu humilde servo para manifestar as maravilhas do Seu Amor. Louvo o Senhor também por todos os que fizeram chegar ao Coração de Deus as suas preces em meu favor e me ajudaram, como bons cireneus, a percorrer a estrada da provação. Peço-lhe que, hoje, como fez há um ano, volte a erguer as suas mãos para o Alto e reze comigo: BENDITO SEJA O SENHOR, POIS OUVIU O GRITO DAS MINHAS SÚPLICAS. O SENHOR É A MINHA FORÇA E O EU ESCUDO; NELE CONFIOU O MEU CORAÇÃO E ELE SOCORREU-ME; POR ISSO, HEI-DE LOUVÁ-LO DE TODO O CORAÇÃO (SALMO 28) "
 
Que estas sentidas palavras de um GRANDE HOMEM, como reflexo do seu BOM E RECONHECIDO CORAÇÃO, nos motivem ao supremo Poema da HUMILDADE, DO AGRADECIMENTO, DA SABEDORIA E DO AMOR.
O Tempo passa a correr... talvez seja mesmo VOADOR...
No entanto, o Tempo, esse implacável Cronos, não apaga, não PODE APAGAR, a excelsa BELEZA que brota dos corações humildes e agradecidos.
Eugénio da Fonseca é um exemplo.
Que o possamos, todos nós, imitar na sua capacidade de compreensão e aceitações dos "assombrosos mistérios da Vida".
Nada mais bonito do que um exemplo desta natureza.
Prof. Eugénio, o Poeta de "ENTRE AS PALAVRAS E O SILÊNCIO", aqui lhe presta a sua singela, mas sentida, homenagem.
MUITO OBRIGADO POR SER QUEM É!!!



Luís Filipe Estrela/ Poeta/ Setubalense/ Director do Jornal Viva Setúbal


Chegam palavras … da Roménia


Olá Amigo Ricardo, li no blogue sobre o Prof. Eugénio da Fonseca... como o Dr. tive uma grande contributo na realização do 1º Festival da Primavera, em Portugal, gostaria de lhe fazer um agradecimento público.
Se puderes... agradeço.


AGRADECIMENTO PÚBLICO AO PROF. EUGÉNIO DA FONSECA


Na passagem do primeiro aniversário (29 de Novembro 2007) sobre a primeira intervenção cirúrgica feita ao Prof. Eugénio da Fonseca, por motivo de complexa enfermidade, venho por este meio, em meu nome pessoal e em nome da Associação Frátia, agradecer ao Prof. Eugénio da Fonseca, por toda a sua colaboração, quando do 1º Festival da Primavera realizado em Portugal (Lisboa, Montijo, Setúbal e Palmela) no passado mês de Abril de 2007. Sem a sua  ajuda, no plano logístico, não teria sido possível realizar o Festival. De igual modo, enalteço a qualidade humana, enquanto Homem Cristão, que sabe ser Solidário, como Jesus Cristo no seu Evangelho nos ensina. Como a Inclusão faz parte da sua atitude, eu Maria Iancu, assim como todos os cidadãos Romenos e Moldavos da Associação Frátia, agradecemos ao Prof. e desejamos-lhe muita e boa saúde para dar continuidade à sua meritória acção enquanto Presidente da Caritas Diocesana e Nacional.


MULTUMIRE PUBLICA DOMNULUI PROFESOR EUGÉNIO DA FONSECA


Cu ocazia aniversarii uni an  (29 Noiembrie 2007) de la prima interventia chirurgicala a dlui. Prof. Eugénio da Fonseca, urmare a unei boli grave, as dori sa multumesc personal si în numele Asociatiei FRATIA , cu toate colaborarea care ne-a onorat, pentru realizarea 1º Festival al Primaverii în Portugália( Lisabona, Montijo, Palmela si Setúbal), luna Aprilie 2007. Fará ajutorul sau pe plan logistic, nu era posibil realizarea Festivalului. Înaltimea caliattii umane ca si om a lui Hristos, care stie sa fie solidar ca si Isus Hristos cu Evanghelia care ne învata. Cum Includerea face parte din atitudinea sa, eu Maria Iancu si toata comunitatea românilor din cadrul Asociatiei FRATIA , MULTUMIM  Profesorului si îi dorim multa sanatate pentru a-si aduce contributul  sau meritoriu ca Presedinte al Caritasului local si natinonal.
Um abraço luso-romeno.
Maria Iancu cidadã luso-romena, Presidente da Associação FRATIA em Setúbal.


Muita coisa se tem escrito sobre a verdadeira história do pai Natal e a quadra festiva que se repete todos os anos em todo o mundo ocidental.



Aqui fica mais uma versão, porquanto é certo que muitas pessoas associam a ideia do Natal à figura típica do velhinho de barbas longas, vestido de vermelho e branco - amigo das criançinhas - mas pouca gente sabe que esta velha história proveio das regiões frias da Sibéria e que nada tem a ver com a festividade do nascimento de Jesus da nossa tradição cristã.


Na verdade, a figura do "Papai Noel" até veio da América para a Europa no século passado, misturando-se na festa religiosa do 25 de Dezembro. Pode-se mesmo dizer que foi uma habilidade tradicional com algum interesse comercial (da Coca-Cola), que ao ter origem noutros povos os americanos fizeram passar à sua maneira para o Mundo Ocidental.


O facto, porém, é que a lenda de Santo Claus (ou São Nicolau) está ligada a um culto xamanístico do Nordeste da Sibéria, trazido para a América do Norte pelas populações indígenas de outros tempos (descendentes dos siberianos) quando atravessaram o estreito de Behring, pelo Alasca, há cerca de 30.000 anos. E foi talvez a partir desses conhecimentos antigos que o americano Clement Moore fez um dia um poema publicado em 1823 onde falava de um personagem que viajava num trenó puxado por renas, e que mais tarde Tomas Nast (um americano de origem bávara) deu à sua figura a imagem poética de um velhinho vestido com roupas árticas, bondoso, simpático, que depois o alemão Moritz vestiria de vermelho e branco tal como conhecemos hoje. Mas aqui também não é por acaso que essas cores foram escolhidas para completar a outra parte da lenda originada na Rússia e que tem a ver com o 'cogumelo agárico' (vermelho salpicado de branco como se pode ver mais abaixo) existente naquelas regiões frias, onde os xamãs das tribos antigas tinham o hábito de consumir a sua substância alucinogénica para entrar em 'transe' nos seus cultos e rituais onde obtinham determinadas visões.


Ora, os xamãs eram uma espécie de sacerdotes ou curandeiros que celebravam as suas festividades ou praticavam suas curas dentro das casas dos habitantes locais que afinal não passavam de enormes buracos feitos no chão recobertos com toras de bétula. Os moradores protegiam-se assim do clima agreste siberiano conservando o fogo sempre aceso deixando escapar a fumaça por uma chaminé que era uma abertura no teto da 'casa' que servia também de entrada e saida de quem morava no seu interior.


A verdade é que quando todos tomavam o alucinogénio dos cogumelos agáricos, seu corpo astral saia do lugar debaixo de chão, passando pela 'chaminé', tendo visões com entes astrais (gnomos, duendes, etc) conhecidos mais tarde nos contos e histórias infantis. A história do 'Pai Natal' surgiu assim ao longo dos tempos alimentada pela imaginação, crenças e tradições de cada lugar...


Agora, como essas crenças siberiano-xamanisticas se misturaram no Ocidente com a festa natalícia do nascimento do menino Jesus, isso já é uma outra questão. O facto é que ninguém sabe ao certo qual foi a data precisa do nascimento de Jesus Cristo, pois ela já foi mudada por diversas vezes ao longo do tempo e variava entre o dia 6 de Janeiro, 25 de Março e 20 de Maio do 28º ano de César Augustus, e também 28 de Março, 20 de Abril e 17 de Novembro do ano 3 d.C., conforme consta na Enciclopédia Britânica "Christmas". Finalmente atribuiu-se o dia 25 de Dezembro como a data mais provável do nascimento de Jesus no Mundo, e esta só foi estabelecida no século 4 da nossa Era. E também não foi por acaso, creio, porque é nesta altura do ano à meia-noite que se estabelece uma certa corrente positiva de energias cósmicas no nosso Planeta quando a Constelação de 'Virgem' desponta no horizonte celeste e a de 'Orion' (com as suas 3 estrelas alinhadas) representam todos os anos o nascimento do Menino deus na Terra, recebido pelos 3 Reis Magos.


Enfim, são pequenas curiosidades (mais uma) que podem ajudar a compreender melhor o significado transcendental do Natal, cujas festas e tradições religiosas deviam ser sempre preparadas e vividas de forma a sermos mais felizes, unidos no Amor Universal, na própria luta contra o Mal. Só que, infelizmente, já se perdeu há muito o sentido do Natal iniciático passando este a fazer parte hoje dum grande Jogo Comercial.


Resta-nos apenas conservar o lado bom da Tradição e fazermos todos os dias um mundo melhor, com Paz e Amor no coração. Penso que é este o verdadeiro espírito do Natal, que nada tem a ver com os excessos e consumismos da grande loucura da Civilização.
Rui Palmela/ Escriba/ Setubalense/ Blog do autor:  http://alvorecer-escriba.blogspot.com/

Posted by arestas at 01:45 PM